PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Altas taxas de colesterol podem ocasionar infarto do coração e AVC; veja como se prevenir

6 de agosto de 2021 - 11:56 # # # # # # #

Suzana Mont'Alverne - Ascom Sesa - Texto
Fabio dos Santos - Arte gráfica


No Dia Nacional de Prevenção e Controle do Colesterol, neste 8 de agosto, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) alerta a população sobre a importância do composto gorduroso produzido pelo fígado para o bom funcionamento do organismo e de seu controle para a prevenção de doenças cardiovasculares.

O colesterol é um tipo de lipídeo que pode ser classificado como HDL (conhecido como “colesterol bom”) e LDL (ou “colesterol ruim”). Além destes, há os triglicérides, um tipo de gordura também produzida pelo fígado e que serve como reserva de energia.

A cardiologista Ana Lúcia Leitão Sá, cardiologista do Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH), equipamento da Sesa, explica que, para entender o porquê dos cuidados, é necessário saber a competência de cada estrutura no organismo. “O colesterol é importante na produção dos hormônios esteroides, como estrógeno, ácidos biliares (produzidos no fígado e excretado pela vesícula biliar) e vitamina D. Os triglicerídeos, por sua vez, constituem uma das formas de armazenamento energético mais importantes do organismo”.

As altas taxas de colesterol podem ocasionar infarto do coração, angina de peito, Acidente Vascular Cerebral (AVC), entre outras doenças. “Quando os lipídeos estão em níveis elevados no sangue (dislipidemia), podem causar uma doença crônica chamada aterosclerose, caracterizada pela agressão das gorduras na parede interna das artérias, causando uma inflamação que culmina com a formação de uma placa de gordura”, detalha a médica.

Segundo Ana Lúcia, a prevenção é a melhor forma de evitar a elevação dos níveis de colesterol no sangue. O cuidado, ela indica, pode ser feito com uma rotina de exercícios físicos, alimentação balanceada e com baixa ingestão de gordura, bem como o controle do peso.

A cardiologista ressalta, ainda, a importância do acompanhamento regular com profissionais de saúde, principalmente se já houver casos na família. “Deve-se consultar o clínico geral ou o especialista e solicitar a realização de exames para avaliar os níveis dos lipídeos no sangue, principalmente os indivíduos que têm história de lipídeos elevados em membros da família, ocorrência de infartos e derrames em parentes próximos, sobretudo nos mais jovens”, orienta.

Fumantes, obesos ou pessoas com sobrepeso, diabéticos e hipertensos também devem estar atentos aos índices. “A avaliação dos níveis de gordura no sangue nesses grupos é importantíssima. Esses pacientes têm o risco mais elevado de vir a desenvolver doenças cardiovasculares ateroscleróticas como infarto, AVC e angina, muitas vezes de forma mais grave”.

HDL e LDL

O colesterol é essencial para a produção dos hormônios necessários para o bom funcionamento do organismo. Parte dele vem da alimentação rica em gordura. O HDL, conhecido como colesterol bom, ajuda a remover o excedente do composto no sangue. Já o LDL, em excesso, pode causar complicações como infarto do miocárdio e AVC.