PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Grupo suspeito de aplicar golpe do “Consórcio premiado” é preso pela Polícia Civil na Capital

25 de agosto de 2021 - 16:23 # # # # #

Ascom SSPDS - Texto e Foto

Oito pessoas, sendo três mulheres e cinco homens, integrantes de uma mesma empresa, foram presas em flagrante, na última segunda-feira (23), suspeitos de aplicarem o golpe do falso consórcio premiado. O grupo criminoso, que captava clientes por meio de um aplicativo das redes sociais, foi preso em uma operação deflagrada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), no bairro Aldeota – Área Integrada de Segurança 1 (AIS 1) de Fortaleza. Além das capturas, notebooks, tablets, celulares, documentações de terceiros, diversos contratos e anotações de como aplicar o golpe, foram apreendidos na ofensiva policial.

O trabalho coordenado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), unidade especializada da PC-CE, iniciou acerca de seis meses, quando as autoridades policiais foram procuradas por quase 30 vítimas, que relataram o crime por meio de Boletins de Ocorrência (B.O). Segundo o que foi apurado inicialmente, a empresa intitulada como Business Cred e que, após tornar alvo das investigações mudou para o nome Nord Bank, captava seus clientes pela internet com a promessa de facilitar, e por um valor mais acessível, a contemplação de uma carta de crédito para compra de um carro zero.

Sobre o golpe

As vítimas eram ludibriadas por meio de um anúncio pela internet, depois iam pessoalmente até a empresa, situada no bairro Aldeota, e lá eram recebidos por uma equipe bastante treinada. Na ocasião, as vítimas eram informadas que deveriam pagar 20% do valor geral da carta crédito que eles gostariam de obter para a compra do veículo, depois do pagamento efetuado, as vítimas aguardavam até uma semana para serem contempladas e só então, após não serem contempladas, descobriram que tinham contratado um consórcio, ficando assim sem o crédito prometido e com a obrigação de pagar altas parcelas.

Com base nas informações gerais, as equipes se deslocaram, na última segunda-feira (23), até o local alvo das investigações e já se depararam com uma equipe de oito pessoas, treinando novas pessoas para aplicarem o golpe. Os suspeitos foram identificados como Cláudio Henrique Farias Lima (41); Derek Alvez Ribeiro (25); Erika Abreu Silva (20); Felismina Maria Silveira (21); João Victor da Cunha Oliveira (18); Jurandi Perote de Sousa Junior (22); Léo Holanda de Oliveira e Thifany Brasil da Costa (22).

O grupo, que não reagiu à ofensiva e não possuíam antecedentes criminais, foi conduzido à DDF onde os suspeitos foram autuados em flagrante por organização criminosa, estelionato e falsidade ideológica. Com eles foram apreendidos ainda dez celulares, vários computadores, um notebook, um tablet, além de vários cadernos com anotações e contratos, possivelmente assinados pelas vítimas. As investigações e diligências continuam, a fim de localizar e prender o proprietário da empresa identificado como Antônio Alves da Silva Filho, de 26 anos.