PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Supesp e CPRaio da PMCE alinham informações para estratégias de combate ao crime

27 de agosto de 2021 - 11:43 # # # # # #

Ascom SSPDS

O compartilhamento de informações, planejamento e estratégia foram o foco do encontro, dessa quinta-feira (26), entre representantes da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) e o comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE). A reunião técnica aconteceu na sede do Comando do CPRaio, onde foram discutidos vários temas e demandas para ajudar na operacionalização do trabalho dos agentes no policiamento das ruas e na própria logística administrativa do comando.

Um dos itens discutidos e que permanece em fase de estudo e adequação é a implementação de serviço de inteligência e a troca de mais informações entre a Supesp e o CPRaio, principalmente em atuações e operações ligadas ao enfrentamento de grupos criminosos na Capital e no Interior do estado. Atualmente, o comando já utiliza a ferramenta Status, que gera as manchas criminais, indicando a tipificação das ocorrências, seu histórico (datas e horários) e os locais com maior ou menor incidência de determinados crimes.

“Na maioria das vezes precisamos apenas atuar com a leitura correta dos fatos, dos dados estatísticos e dos crimes ocorridos. Nem sempre porque o Crime Violento Letal Intencional (CVLI) ocorreu naquela localidade ou bairro é necessário concentrar os esforços naquele endereço. É preciso apenas saber de onde partiu o mando do crime, porque no caso dos grupos criminosos a vingança ou o revide ocorrerá em outro local completamente diferente”, alertou o tenente-coronel Kilderlan Sousa, comandante do CPRaio. Ele esteve presente na reunião, que serviu, ainda, pra intercâmbio de informações para aprimorar algumas bases de dados do CPRaio e da Supesp. Hoje, a base de informações do CPRaio é atualizada de forma online a cada 180 segundos.

Participaram do encontro pela Supesp: o superintendente Dr Helano Matos e o gerente de Estatística e Geoprocessamento, Franklin Torres. Também estiveram presentes os sargentos Érico Mesquita e Boanerges Teixeira, responsáveis pela criação de banco de dados no comando, que até 2020 era feito de forma analógica, ou seja, desconectado de qualquer sistema da área de segurança. “Hoje, o policial tem toda uma estrutura e uma base de informações que precisam estar atualizadas para que o sistema gere o máximo de detalhes sobre operações, apreensões, que tipo de ocorrências, e aí a Supesp tem sido uma grande parceira para aperfeiçoar esse trabalho”, explicou o sargento Boanerges.

Diálogo

De acordo com o comandante Kilderlan Sousa, é importante investir em mais diálogo entre as forças de segurança e os órgãos estratégicos, como a Supesp, e as inteligências das polícias. “Essa aproximação, até mesmo com o Poder Judiciário, torna-se essencial para alcançarmos cada vez mais resultados efetivos na área da segurança pública. Quando falamos de roubo de celular, por exemplo, sabemos que é possível inibir essa ação quando o usuário ativa modos de proteção pra bloquear o aparelho quando vítima de um assalto. É o que acontece com roubos de fios de cobre, que ainda só ocorrem porque existe o receptador. Então, o foco precisa ser a origem do crime, onde acontece e não apenas fazer o trabalho de repressão. O Judiciário precisa participar mais desse diálogo, os agentes conhecerem melhor como funciona o trabalho de alguns colegas, intensificar a troca de informações estratégicas, de mais tecnologia”, pontuou o tenente-coronel Kilderlan.

Desde o primeiro semestre deste ano, a Supesp vem reforçando a integração com diversas forças de segurança e instituições voltadas para a tecnologia aplicada à segurança pública. O próprio comando do CPRaio já havia participado de uma apresentação, no final do mês de maio, com o superintendente Helano Matos, o gerente de Estatística, Franklin Torres, e o diretor de Estratégia de Segurança Pública (Diesp/Supesp), capitão Anderson Duarte, para conhecimento de algumas tecnologias disponíveis para uso deste policiamento especializado.