PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

O papel dos profissionais da Nutrição na promoção do bem-estar físico, mental e social de pacientes, acompanhantes e colaboradores

31 de agosto de 2021 - 14:49 # # # # # # # #

Wescley Jorge/Ascom HGCC , Milena Fernandes/Ascom HSM, Diego Sombra/Ascom HSJ, Diana Vasconcelos/Ascom HMJMA e Débora Morais/Ascom Helv - Texto

Atuação de nutricionistas torna-se cada vez mais relevante durante todo o processo de internação hospitalar

Cada insumo é escolhido com muita cautela. As dietas são preparadas cuidadosamente para que a alimentação seja uma aliada na recuperação de pacientes e no bem-estar de acompanhantes e colaboradores. Afinal, o cuidado com o corpo e com a mente começam de dentro para fora. Até em meio à pandemia, a assistência nutricional é cúmplice na reabilitação de pacientes acometidos pela Covid-19. Por isso, a atuação de profissionais da Nutrição torna-se cada vez mais relevante durante todo o processo de internação hospitalar.

O Centro de Nutrição Dietética (Cenud) do Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), por exemplo, proporciona alimentação nutricionalmente equilibrada, segura e adequada para todos — de pacientes a trabalhadores da unidade. O objetivo principal é promover bem-estar físico, mental e social nos diversos níveis de saúde.

A coordenadora de Nutrição do hospital, Gorete Lotif, ressalta a importância do serviço, que favorece a recuperação do paciente por meio de uma assistência voltada à saúde alimentar. “O nosso serviço busca um atendimento que transforme a saúde, que seja mais sustentável, humanizado e com empatia, pautado em um plano terapêutico, sendo um ponto de partida para promover uma assistência de qualidade”, afirma.

Lotif destaca, ainda, a realização da triagem personalizada. O acompanhamento se dá desde a admissão até a alta do paciente. “No decorrer do prazo de 72 horas, é realizada uma triagem individualizada do risco nutricional e, consequentemente, uma avaliação nutricional e metabólica. O intuito é diagnosticar o estado nutricional do paciente hospitalizado, além de um acompanhamento diário, leito a leito, das condições clínicas do paciente, objetivando uma assistência nutricional de melhor qualidade”, detalha.

Por mês, são realizadas, em média, 280 triagens, que incluem exame físico, avaliação nutricional e avaliação bioquímica para um diagnóstico que permita uma conduta nutricional mais correta, conforme a patologia.

À espera do segundo filho, acompanhada na Casa da Gestante, Ana Karoline do Nascimento Forte, 24, considera importante o cuidado personalizado. “A gente fica se perguntando se está bem, até mesmo porque é nutrição para a criança e não só para nós”, pontua a gestante.

No HGCC, a Nutrição atua nas áreas de Ginecologia e Obstetrícia, Neonatologia, Clínicas Médicas e Cirúrgicas, e ainda no Ambulatório de Especialidades. Como hospital de ensino, contribui também para a formação profissional dos novos nutricionistas, a partir dos estágios supervisionados para alunos de universidades e faculdades conveniadas. Ao todo, a unidade conta com 20 nutricionistas.

Alimentação e saúde mental equilibradas

No Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), também da Rede Sesa, a equipe do Centro de Nutrição e Dietética é formada por nove nutricionistas que, diariamente, se reúnem para planejar e avaliar a alimentação de pacientes e funcionários. A nutricionista clínica Vitória Oliveira explica que a alimentação é extremamente importante na busca por uma saúde mental equilibrada. “A Nutrição nos permite ir além de suprir as necessidades do indivíduo, nos possibilitando corrigir deficiências, melhorando o prognóstico do paciente, além de prevenir e até curar doenças”, avalia.

Equipe do Centro de Nutrição e Dietética do HSM planeja e avalia a alimentação de pacientes e funcionários

Para um maior cuidado com a saúde mental, os alimentos produzidos e oferecidos pelo setor de Nutrição do HSM são selecionados e a prioridade são os que possuem propriedades antiinflamatórias e antioxidantes, que irão ajudar no tratamento das doenças mentais; os alimentos que são fonte de triptofano, precursor da serotonina, capazes de gerar sensações de prazer e, assim, melhorar quadros de ansiedade e depressão. “O alimento vai além de nutrir, pois nos traz memórias afetivas, sensações de conforto e prazer”, ensina.

A nutricionista clínica destaca, ainda, que a alimentação está diretamente ligada à saúde mental, por meio do eixo cérebro-intestino. “Atualmente, o intestino humano é reconhecido como nosso segundo cérebro, devido à capacidade de influenciar o funcionamento de diversos órgãos e tecidos corporais. Por isso, a alimentação de qualidade, aliada a hábitos de vida saudáveis, promove uma saúde mental adequada”.

Atendimento humanizado

Referência no tratamento de doenças infectocontagiosas, o Hospital São José (HSJ) possui uma equipe de 13 nutricionistas para prestar assistência aos pacientes internados na unidade. Os profissionais avaliam individualmente cada pessoa hospitalizada para definir o tipo de dieta e o modo de preparo dos alimentos, que são selecionados com base em critérios específicos.

Logo ao dar entrada na unidade, o paciente é submetido a uma triagem nutricional. “Neste momento, nós observamos o que o paciente precisa para definir a terapia de nutrição adequada para ele. Verificamos se existe algum déficit nutricional ou alguma comorbidade”, explica a nutricionista clínica Francisca Maria da Silva.

Profissionais da Nutrição avaliam individualmente cada pessoa hospitalizada para definir o tipo de dieta e o modo de preparo dos alimentos

Além de monitorar a condição nutricional, a equipe também realiza avaliações antropométricas, verifica a aceitação da dieta pelo paciente e planeja, orienta e supervisiona a execução das atividades relacionadas à área da alimentação e Nutrição. Alice Camelo, gerente do setor, destaca que o trabalho dos profissionais é pautado pela humanização. “O atendimento humanizado é uma característica do São José e nós trabalhamos com foco nisso. Muitas vezes, o paciente tem dificuldade para aceitar a dieta e o nutricionista vai ao leito dele para conversar, tentar sensibilizá-lo. É uma forma de contribuir para que ele se recupere mais rápido e possa receber alta”, sublinha.

Bem-estar de pacientes e colaboradores

O Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar (HMJMA), da rede estadual, entende que a nutrição adequada é um fator fundamental na recuperação de cada paciente. “O serviço funciona acompanhando todas as refeições dos pacientes e garantindo, a cada um deles, as suas especificidades. Uma nutrição hospitalar adequada reduz riscos de infecção, auxilia processos de cicatrização e evita que o organismo fique sem os nutrientes que precisa”, pontua a nutricionista Ana Patrícia Nogueira Aguiar, coordenadora do Setor de Nutrição da unidade.

Segundo ela, a rotina dos profissionais de Nutrição no HMJMA começa com as visitas diárias aos leitos. Os pacientes passam por avaliação nutricional para receber uma dieta adequada às suas necessidades, sob orientação e supervisão da equipe. A aceitação e queixas gastrointestinais também são verificadas. Todo esse trabalho é focado na recuperação e/ou manutenção do estado nutricional, bem como no auxílio da recuperação clínica do paciente internado. “Além disso, a nossa nutrição também atua diretamente nas refeições destinadas aos funcionários, prezando sempre pelo valor nutricional de cada alimento e bem-estar dos colaboradores”.

Nutrição pós-Covid

A atuação dos profissionais da saúde ganhou papel de destaque durante a pandemia da Covid-19. E com os nutricionistas não foi diferente. Entre os desafios trazidos pelo coronavírus, está o de manter ou recuperar, com segurança, o estado nutricional do paciente que segue internado no hospital.

Segundo a gerente de Nutrição do Hospital Estadual Leonardo Da Vinci (Helv), unidade adquirida pelo Estado em meio ao período pandêmico e administrada pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), Nianne Lucena, a situação mostrou a importância da equipe multiprofissional e a relevância do nutricionista estar inserido no processo. “O nutricionista vem para melhorar a condição clínica do paciente para que este possa ter um desfecho favorável, minimizando o dano e também atuando diretamente em sua recuperação, tanto na estadia hospitalar como na alta”, explica.

Os pacientes que receberam alta hospitalar no Helv após a Covid-19 precisam de cuidados especiais para aliviar possíveis sequelas da doença. A nutrição pós-Covid adequada é uma forte aliada para a recuperação total. Na unidade, 98% dos pacientes que têm alta saem com orientação nutricional.