PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Profissionais do Hospital César Cals treinam posicionamento correto do recém-nascido

1 de setembro de 2021 - 16:34 # # # # # #

Wescley Jorge - Ascom HGCC - Texto e foto

Até o dia 10 de setembro, a formação será direcionada aos profissionais noturnos

A qualificação de profissionais para o cuidado com os recém-nascidos no Centro de Neonatologia do Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), é constante. Durante uma semana, o Núcleo de Fisioterapia Neonatal e a Residência em Fisioterapia realizaram rodas de conversa e treinamento sobre o posicionamento adequado dos bebês em incubadoras e berços das unidades neonatais.

Até o dia 10 de setembro, a formação sobre o posicionamento adequado do bebê será agora direcionada aos profissionais noturnos. Ações como esta deverão ocorrer uma vez por mês. Considerado um tipo de intervenção não invasiva e que faz parte dos cuidados favorecedores ao desenvolvimento, as manobras contribuem para o ganho de peso dos pequenos, minimiza o estresse causado pela internação e procedimentos, promove aconchego, proteção e ajuda no desenvolvimento motor do recém-nascido.

“A capacitação do profissional faz com que a assistência seja organizada de modo igualitário, com o objetivo de alcançar os seguintes benefícios: compreensão acerca de impactos do posicionamento sobre o desenvolvimento, ganho de peso, diminuição do estresse e até na melhora da respiração do recém-nascido. Assim, o profissional passa a ter um olhar mais crítico sobre suas condutas, adotando práticas fundamentadas”, detalha a fisioterapeuta residente Karlieny Martins da Silva Mariano.

Cursos e qualificações são constantemente desenvolvidos para os colaboradores do HGCC

O objetivo das rodas de conversa visa a orientar sobre os cuidados que os colaboradores envolvidos com a atenção neonatal devem ter com o posicionamento dos bebês internados. Nas intervenções, foram esclarecidas as principais dúvidas sobre o tema e, ainda, o fortalecimento da comunicação e o vínculo com a equipe. Ao todo, participaram 70 profissionais, incluindo fisioterapeutas, enfermeiros e técnicas de Enfermagem.

Uma delas foi Maria Tereza Forte da Silva. Para ela, a qualificação permanente traz benefícios para a equipe e, principalmente, para os pacientes. “Estamos em um hospital terciário de alto risco. Os treinamentos trazem melhorias contínuas. A gente obtém mais conhecimento para aplicar na rotina. A ciência sempre está mudando, então precisamos nos atualizar”, reconhece a técnica.