PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Encontros Temáticos debatem a importância do cuidado socioemocional para os educadores

15 de setembro de 2021 - 18:01 # # # # #

Ascom Seduc

A Secretaria da Educação (Seduc) deu início, nesta quarta-feira (15), ao segundo ciclo dos Encontros Temáticos 2021, com a palestra intitulada “Cuidar de quem cuida: os cuidados socioemocionais na Educação Infantil e no Ensino Fundamental”. Durante a exposição, foram apresentados conceitos relacionados à importância do bem-estar do professor para o desenvolvimento adequado do aluno.

A palestra foi realizada virtualmente e transmitida ao vivo pelo Youtube, com a participação das professoras Ana Luiza Colagrossi, coordenadora do Departamento de Pós-Graduação em Psicopedagogia do Instituto Sedes Sapientiae, e Dana McCoy, do Departamento de Educação da Universidade de Harvard.

Dana McCoy salientou, durante a palestra, que para cuidar bem de outra pessoa é necessário primeiro cuidar de si. “Evidências mostram que educadores com baixos níveis de estresse têm menos conflitos com seus alunos em sala de aula. As crianças têm menos problemas emocionais, sociais e comportamentais, ficam mais motivadas e conseguem obter melhor desempenho acadêmico”, explica.

A professora apresentou, ainda, pesquisas a respeito dos possíveis efeitos do estresse nas diversas fases da vida. “A primeira infância é um período sensível de desenvolvimento, uma época em que as habilidades e competências crescem de maneira especialmente rápida. O estresse pode ser tóxico se ocorrer na ausência de um relacionamento protetor. No entanto, educadores podem ajudar as crianças a vivenciar situações estressantes como toleráveis, ao invés de tóxicas. A resiliência pode ser ensinada, assim como as letras, os números e os fatos científicos”, argumenta McCoy.

Proteção

Ana Luiza Colagrossi defende a necessidade de se aprender a lidar com as emoções de forma efetiva para o melhor desempenho das atividades em sala de aula. “O trabalho das competências socioemocionais é um grande diferencial dessa rede. Em um momento como este, tão sensível em nossa sociedade, as competências representam um grande auxílio, não apenas às crianças e jovens, mas também aos professores. O educador representa um forte fator de proteção, que vai ajudar a dar suporte para a criança enfrentar situações de estresse. O que o educador pode fazer pela criança, também pode fazer por si e pelos colegas”, considera.

Colagrossi pontua que fortalecer o capital humano é uma ação estratégica para o fortalecimento da educação. “Estudos mostram que cada vez mais devemos investir na formação da pessoa, e não somente no aspecto intelectual. Sem a habilidade de reconhecer e regular as próprias emoções, torna-se difícil interagir efetivamente com as outras pessoas. O objetivo é tentar manter o equilíbrio frente às mudanças e aos tempos de crise. A saúde mental dos adultos está diretamente ligada à das crianças. Quando os educadores estão bem, temos mais oportunidade de formar vínculos saudáveis e apoiar as necessidades das crianças”, esclarece.

Debate

Os Encontros Temáticos são promovidos por intermédio da Secretaria Executiva de Cooperação com os Municípios, no âmbito da Coordenadoria de Educação e Promoção Social (Coeps) e da Coordenadoria de Cooperação com os Municípios para a Aprendizagem na Idade Certa (Copem).

A articuladora da Copem, Marília Gaspar, representou ambas as Coordenadorias no evento e destacou que a ação busca fortalecer o papel social da escola. “Não podemos esquecer o bem-estar de quem está ao lado dos nossos estudantes. Com a progressiva retomada presencial às aulas, enfatizamos a importância de cuidar de quem cuida, uma vez que aprender a gerenciar as emoções e estabelecer relacionamentos saudáveis com seus pares e com os alunos são condições inequívocas para um ambiente escolar benéfico”, conclui.

O encontro funciona como uma extensão do Ciclo de Formações Continuadas para Profissionais da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e traz, além da conferência de abertura, salas temáticas que abordam o componente socioemocional no âmbito das formações pedagógicas. Esse momento será voltado aos formadores regionais e municipais, além de articuladores regionais que atuam no programa Mais Infância e de técnicos das Células de Cooperação com os Municípios (Cecoms), nas Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Credes).

A iniciativa conta com o apoio do Programa Mais Infância, da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Padin), do Programa Cientista Chefe, do Programa InteliGENTES e da Coordenadoria da Diversidade e da Inclusão Educacional (Codin).