PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Vladimir Safatle, Maria Beraldo e Banda Vacilant discutem afinidades filosóficas e musicais em live da Porto Iracema das Artes

15 de setembro de 2021 - 10:00 # # # # # #

Ascom Porto Iracema das Artes - Texto

Em encontro inédito, o filósofo, escritor e músico Vladimir Safatle se junta à banda cearense Vacilant, que passou pelo Lab Música da Escola, e à tutora Maria Beraldo, para debater diferentes concepções de tempo. Será nesta quinta (16), às 19h

Em música, o tempo é elemento primordial. Não existe música sem o tempo. Na pesquisa “Vacilant Investiga o Tempo”, desenvolvida no Laboratório de Música da Escola Porto Iracema das Artes em 2020, que resultou no lançamento do álbum visual “Tempo Bravo”, a banda Vacilant questiona: um som dura somente a vibração do acorde? A imagem em movimento existe somente nos seus quadros por segundo? O que dilata? O que se encerra?

Em “Tempo Tátil”, segundo álbum do filósofo e músico Vladimir Safatle recém-lançado pelo Selo Sesc, treze faixas instrumentais escritas sob estruturas variadas desafiam a composição atual por meio de estratégias para emancipar o tempo, como se fosse possível viver em um espaço no qual não se conta nem se mede. Safatle define suas obras como “expressões estranhas à gramática de afetos que colonizam nossas formas de experiência”. O trabalho foi concebido a partir do “desfibramento e da contração do tempo musical”.

Ambos os álbuns foram lançados nesse outro tempo, o da pandemia, ampliando a gama de significados destas duas experiências musicais. Em encontro inédito, Banda Vacilant, a tutora da banda, Maria Beraldo, e o filósofo Vladimir Safatle se reúnem no Youtube da Escola Porto Iracema das Artes — instituição da Secretaria da Cultura (Secult) gerida em parceria pelo Instituto Dragão do Mar (IDM) — para discutir e mergulhar nessas diferentes concepções de tempo, com diálogos acerca de seus processos criativos. A live, que recebe o título de “Tempo Tátil, Tempo Bravo”, acontece nesta quinta-feira (16), às 19h, no canal da Escola no Youtube.

A ideia de juntar Safatle, Beraldo e Vacilant, grupo composto por Yuri Costa, Clau Anis, Tuan Fernandes, Felipe Couto e Taís Monteiro, foi da coordenadora do Laboratório de Música da Porto Iracema, a artista Mona Gadelha. Como a temática dos dois trabalhos lhe chamou atenção, ela logo percebeu uma conexão entre o álbum da banda e o projeto do filósofo. “Além dessa conexão temática, há uma relação muito interessante com o tempo, com o contemporâneo. Essa situação que a gente vive, de transição, e ao mesmo tempo não se sabe quando essa transição vai ter o seu desfecho do ponto de vista político, do ponto de vista da saúde’’, complementa a coordenadora.

“Além de trocar essa ideia a respeito da temática do tempo dentro da música e como expressar as subjetividades nesse contexto, queremos também trazer discussões político-sociais a respeito do fazer artístico e dos incentivos públicos para esses artistas”, antecipa Yuri Costa, um dos integrantes da Vancilant. Segundo ele, o encontro será “uma conversa bem aberta”, mas permeada pelos respectivos trabalhos, além de contar com a presença de Maria Beraldo, que orientou o processo de criação do projeto no Laboratório.

Sobre os convidados

Banda Vacilant
Vacilant é formada por Clau Aniz, Felipe Couto, Taís Monteiro, Tuan Fernandes e Yuri Costa produzindo sons, imagens e palavras. A banda, que recebeu a tutoria da produtora e multiartista Maria Beraldo na Escola Porto Iracema, convidou realizadores audiovisuais, AMORFAS e insiraseunomeaqui para se juntar ao grupo, criando vídeos para duas músicas. A investigação sonora-imagética deságua em um álbum, lançado em agosto pelo selo Mercúrio Música, e também em um vídeo-ensaio. “Tempo Bravo é o nome do álbum, o nome do vídeo, o nome da experiência da nossa tentativa de investigar o que não se controla, o que é selvagem, de outra matéria jamais entendida, que escapa à qualquer manipulação barata.” Tempo Bravo é também a primeira música. Seguida de Sangradouro, Serviços Essenciais, Sopa de Ossada, Imagem Roubada (interpretação de Cidadão Instigado) e Corredeira. Essa é a ordem. “Investigar a ressonância do tempo em nossos corpos e mentes. Poderíamos estender, dilatar, ressonar, demorar, retomar, destruir e reconstruir. Não em truque sonoro e imagético, mas em experiência dividida. Durante a criação dos sons, das imagens. Viemos aqui dividir o processo que nos levou a testar que o passado, o presente e o futuro se misturam em um referente só que é existir.”

Maria Beraldo
Maria Beraldo é compositora, produtora, cantora, clarinetista e guitarrista. Em 2018 lançou seu primeiro álbum solo CAVALA (selo RISCO), muito bem recebido pela crítica e público, e apresentou o espetáculo do disco nos principais teatros e festivais do Brasil e Portugal. Com esse trabalho foi indicada aos prêmios APCA, Multishow, Prêmio SIM SP e Woman’s Music Event, no qual foi premiada como melhor instrumentista. Em 2019 foi indicada ao Premio Shell de Teatro pela direção musical e arranjos (com Mariá Portugal) da montagem brasileira de Lázarus, de David Bowie e Enda Walsh, dirigida por Felipe Hirsch. Vem se apresentando no Brasil, Europa, Japão e América do Sul com a Quartabê, Arrigo Barnabé e Bolerinho. Maria assina os arranjos de sopros de faixas do CD “Deus é Mulher”de Elza Soares, do qual participa também como instrumentista. É mestre em Música desde 2013 e Bacharel em Música Popular desde 2009 pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Vladimir Safatle
Filósofo, escritor e músico. Professor de filosofia da Universidade de São Paulo (USP), além de professor convidado e pesquisador em outras universidades e instituições europeias, africanas e norte-americanas (Paris I, Paris VII, Paris VIII, Paris X, Toulouse, Louvain, Stellenboch Institute of Advanced Studies/Africa do Sul, Essex, Berkeley).

Autor dos livros: A Paixão do Negativo: Lacan e a dialética, A esquerda que não teme dizer seu nome, Grande hotel abismo: por uma reconstrução da teoria do reconhecimento, O Circuito dos Afetos: Corpos Políticos, Desamparo e o Fim do Indivíduo, Só mais um esforço, Maneiras de transformar mundos: Lacan, política e emancipação, dentre outros.

Sobre a Escola

A Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, instituição da Secretaria da Cultura (Secult) gerida pelo Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há oito anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: Vladimir Safatle, Maria Beraldo e Banda Vacilant discutem afinidades filosóficas e musicais em live da Porto Iracema das Artes
Quando: Quinta-feira, 16 de setembro, às 19 horas
Onde: Youtube da Escola Porto Iracema das Artes
Online e gratuito