PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Novo painel do IntegraSUS detalha indicadores de transplantes de órgãos e tecidos no Ceará, referência de procedimentos no País

16 de setembro de 2021 - 11:51 # # # #

Suzana Mont'Alverne - Ascom Sesa
Saulo Cruz Artes gráficas

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) disponibiliza mais um painel na plataforma de transparência IntegraSUS. A novidade apresenta informações relacionadas a transplantes de órgãos e tecidos no Estado. Poderão ser visualizados no dashboard, por exemplo, dados sobre doadores efetivos e potenciais (ver abaixo), além dos números de procedimentos realizados nas unidades da Rede Sesa. A base de dados é consolidada pela Central de Transplantes do Ceará.

 Veja o painel Indicadores de Doação e Transplantes de Órgãos e Tecidos no Ceará

A inclusão do painel no IntegraSUS, segundo o secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha, é uma inovação que a pasta articula para que haja ainda mais transparência para o cidadão. “O Ceará é referência nacional em transplantes de órgãos e tecidos. É o primeiro do Nordeste e o quarto do Brasil em doação de órgãos. E esse trabalho se deve à dedicação de todos os profissionais de saúde que trabalham no processo de transplante”, acrescenta.

No sistema, as pesquisas relacionadas ao quantitativo dos possíveis doadores e doadores efetivos poderão ser filtradas por idade e gênero. Para a coordenadora da Central de Transplantes estadual, Eliana Régia Barbosa, a iniciativa se integra às ferramentas de planejamento da saúde que buscam unir inovação e eficiência à prestação de um serviço público de saúde de excelência para a população cearense. “Os cidadãos terão conhecimento dos principais indicadores do processo de transplante. Além disso, os dados disponibilizados auxiliarão pesquisadores em suas investigações e os gestores em ações de políticas de saúde“, pontua.

Transplantes no Ceará

No Ceará, neste ano, até agosto, já foram realizados 904 transplantes de órgãos e tecidos. Os números são atualizados uma vez por mês. Em 2020, durante todo o ano, foram 1.112 procedimentos feitos. Entre os principais transplantes realizados no ano passado, estão o de córnea (633) – que tem fila de espera zerada desde dezembro de 2016 –, o de rim de pessoas falecidas (178), o de fígado (179) e o de medula (88). No mesmo ano, foram 14 transplantes de coração.


Apesar da pandemia, a pasta manteve o programa ativo, mesmo com a diminuição nos índices de doações e transplantes. “Nesse sentido, é importante destacar o esforço de todas as equipes envolvidas direta e indiretamente no processo de doação e transplante, além da solidariedade do povo cearense. Entre os meses de maio e agosto deste ano, já apreciamos uma recuperação progressiva, com normalização na realização de todos os transplantes”, diz Barbosa.

Glossário

Para a pesquisa ser qualificada no novo ambiente virtual, é importante compreender alguns dos termos adotados:

– Potencial doador: indivíduo que, por meio de exames clínicos, apresentou morte encefálica.
– Morte encefálica: É a morte do cérebro, incluindo tronco cerebral – que desempenha funções vitais, como controle da respiração. Quando isso ocorre, a parada cardíaca é inevitável. Embora ainda haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte encefálica não pode respirar sem os aparelhos e o coração não baterá por mais de algumas poucas horas.
– Doador efetivo: paciente que realiza a cirurgia para retirada de órgão para doação.