PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

SAP abre salas de aula no período da noite para internos que trabalham em tempo integral

8 de novembro de 2021 - 15:07 # # # # #

Ascom SAP - Texto

O acesso do indivíduo à educação é uma das prioridades do remodelado sistema prisional do Ceará. É através desta nova perspectiva que os internos conquistam sua reintegração concreta na sociedade. Em virtude disso, a Coordenadoria de Educação da Secretaria da Administração Penitenciária deu início ao terceiro turno da escola e ampliou o número de internos com acesso às salas de aulas nas unidades prisionais. São 475 internos que trabalham nos turno manhã e tarde e estudam no turno da noite. As turmas são desde o Ensino Fundamental até o Ensino Superior.

São 19 professores envolvidos nessa ampliação e os internos que estudam a noite estão divididos em 6 unidades prisionais que são o Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne (CEPIS), Unidade Prisional Irmã Imelda Lima Pontes, Cadeia Pública de Sobral e Cadeia Pública de Juazeiro do Norte.

De acordo com o coordenador educacional da SAP, Rodrigo Moraes, garantir ofertas de escolarização no terceiro turno das unidades prisionais faz parte da política de ressocialização e inclusão social da Secretaria da Administração Penitenciária. “Essa ampliação garante o acesso dos alunos matriculados e também beneficia aqueles que trabalham nas unidades prisionais. Essa é a grande missão da SAP, através da educação, capacitação profissional e trabalho proporcionar ao seus internos melhores condições de retorno ao convívio social”, enfatiza.

A professora, Cleide Costa, comenta sobre a experiência de ensinar dentro de uma unidade prisional. “Nós, profissionais da educação, costumamos dizer que todos os lugares existem alunos. Os daqui são exemplares. São alunos atenciosos e dedicados. Eles vem de um longo período de trabalho o dia inteiro, mas quando chegam aqui existe a vontade de aprender. Neles a gente percebe uma imensa vontade de ser diferente. Sabe o que é brilho nos olhos? As pessoas acham que seria difícil trabalhar aqui, mas em um determinado tempo a gente não enxerga mais as grades e sim pessoas que possuem sonhos e desejos.E a educação é a ponte pra isso. A sala de aula é transformadora. A educação é esse processo maravilhoso que aonde a gente ensina e ao mesmo tempo aprende também. Pra mim é gratificante”, atesta.

O interno e aluno do terceiro turno, José Wellington, agradece pela a nova oportunidade. “No início desse ano eu estava estudando pela manhã e fui classificado para trabalhar. Fiquei meio assim em perder meus estudos, mas graças a vocês e a abertura do terceiro turno eu consigo fazer as duas coisas. Saio do trabalho direto para a sala de aula. Eu espero sair logo daqui e continuar meu trabalho de serralheria. Essa oportunidade está abrindo mais coisas na minha mente, estou voltando a ler e a escrever. Lá fora eu não tinha aproveitado minha chance, mas hoje estou enxergando com outros olhos”, planeja.

 

Ouça

De acordo com o coordenador educacional da SAP, Rodrigo Moraes, garantir ofertas de escolarização no terceiro turno das unidades prisionais faz parte da política de ressocialização e inclusão social da Secretaria da Administração Penitenciária.

A professora, Cleide Costa, comenta sobre a experiência de ensinar dentro de uma unidade prisional.

O interno e aluno do terceiro turno, José Wellington, agradece pela a nova oportunidade.