PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Izolda Cela recebe diretor do Porto de Roterdã e ressalta diversidade de recursos do Ceará

24 de novembro de 2021 - 17:43 # # # # #

Ascom ViceGov - Texto e Fotos

A vice-governadora Izolda Cela se reuniu, nesta quarta-feira (24), com o diretor do Porto de Roterdã, René van der Plas. Na conversa, foi debatido o grande potencial do Ceará como fonte de diversos recursos renováveis. O hub holandês, parceiro comercial do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) desde dezembro de 2018, é o maior porto da Europa e um dos líderes mundiais no incentivo do uso de energias limpas. O encontro aconteceu na sede da Vice-Governadoria, no bairro Meireles, em Fortaleza.

Izolda Cela ressaltou o bom trabalho do estado na manutenção de práticas benéficas para o meio-ambiente “O Ceará possui condições favoráveis para continuar com suas ações em prol da sustentabilidade, que precisam seguir independente do calendário ou ciclo político para que esse desenvolvimento importante seja mantido”, disse.

René van der Plas aproveitou o encontro para elogiar o CIPP e reconhecer o grande potencial do complexo em várias frentes. “Acredito que o complexo está em ótimo estado. Também sei que o porto está trabalhando todos os dias em melhorias. Hoje os desafios são gigantes, principalmente com as energias renováveis. Você precisa estar preparado para transformar esses desafios em oportunidades”, pontuou.

Também estiveram presentes na reunião o presidente do CIPP, Danilo Serpa, além do secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Maia Júnior.

Hidrogênio verde

Em outubro deste ano, em viagem pela Europa, o governador Camilo Santana assinou, em Roterdã, o 11º memorando de entendimento para produção de hidrogênio verde no Complexo do Pecém. O protocolo prevê investimentos de 2 bilhões de dólares e tem como objetivo produzir pelo menos 500.000 toneladas de hidrogênio verde por ano.

O HUB de Hidrogênio Verde do Ceará foi lançado neste ano em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). A ideia é buscar reduzir a emissão de poluentes com novos investimentos e ampliar as oportunidades de negócios e geração de empregos no Ceará.