PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Governo do Ceará lança ferramenta inteligente de Arranjos Produtivos Locais do Ceará

25 de novembro de 2021 - 10:07 # # # # # #

Ana Beatriz Sugette - Ascom Adece - Texto

Ferramenta permitirá cadastramento de empresas componentes dos APLs

Com o objetivo de efetivar a política de desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) do Ceará, a Agência de Desenvolvimento do Estado (Adece), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) lançou uma ferramenta online reunindo a lista de aglomerados produtivos e suas respectivas localizações.

Disponível no site da Agência, a ferramenta BI (business intelligence) possibilita ainda a visualização do número de empresas por município, quantidade de vínculos empregatícios formais, o quociente locacional (concentração de trabalhadores) e a participação relativa no Ceará.

Conforme o presidente da Adece, Francisco Rabelo, a iniciativa faz parte do Programa Impulsiona Ceará – Fortalecendo os arranjos produtivos locais, uma parceria entre Adece, Sedet e execução do Instituto Centec. “O trabalho consiste em executar e monitorar ações que visem a aceleração dos negócios existentes nas regiões contempladas. Já a plataforma visa acompanhar todo o mapeamento dos aglomerados produtivos, além de proporcionar um espaço de informações sobre os mesmos”, explica.

O secretário executivo do Trabalho e Empreendedorismo da Sedet, Kennedy Vasconcelos, ressalta que além de disponibilizar as informações para o público em geral a ferramenta tem “grande importância para os arranjos produtivos locais/aglomerações, gestores públicos (policy makers) e para os empresários que fazem parte da cadeia produtiva dos APL no Ceará.”

Cadastramento de empresas

Em fase constante de desenvolvimento e atualização, o BI permitirá o cadastramento de empresas componentes dos APLs. “As informações serão de extrema importância para obter futuros apoios. Além disso, serão registrados links com as políticas já desenvolvidas no Estado, como compras governamentais, apoio à formalização e projeto Clusters de Inovação”, completa o diretor de Fomento da Adece, Luis Eduardo Fontenelle Barros.