PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Acessibilidade cultural, relações étnicos-raciais e formação em arte e cultura são pautas a partir de Janeiro na Secult Ceará

17 de janeiro de 2022 - 15:16 # # # # # #

Ascom Secult - texto e arte gráfica

O Percursos (In)Formativos é uma agenda de formação da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) que vem realizando ações no cenário cultural cearense. Com objetivo de fortalecer o desenvolvimento do setor cultural, o programa é destinado aos gestores culturais e ao público em geral com temáticas que oportunizam maior inclusão e qualificação das políticas culturais. As ações acontecem de janeiro a março.

Em 2022, o programa realiza eventos abertos ao público, organizados em três eixos. São eles: 3º Seminário Cultura do Acesso, 1º Ciclo de Colóquios Arte, Cultura e Pensamento e 1º Webinário Étnico Racial. Mais informações podem ser conferidas no instagram @percursosinformativos e em www.percursosinformativos.com.br.

O programa Percursos (In)Formativos destaca a importância de refletir, debater e construir cenários mais assertivos sobre Acessibilidade Cultural, Relações Étnicos-Raciais e Política de Formação em Arte e Cultura.

Sobre os eixos dos Percursos (In)Formativos

• 3º Seminário Cultura do Acesso

Realizado desde 2019, o seminário é o projeto veterano neste Percurso. De janeiro a março, apresenta programação transversal com palestras, grupos de trabalho, mesas e oficinas com especialistas em acessibilidade cultural de todo o Brasil. Em sua terceira edição, Edu O, Silvana Cambiaghi e João Paulo Lima são exemplos de nomes confirmados na programação que busca sensibilizar, alinhar e aproximar o público e profissionais relacionados da urgência e importância de pensar a Acessibilidade como parte de nosso cotidiano.

“A realização dessas atividades vem dar concretude às políticas de formação em artes e políticas afirmativas promovidas pela Secult nesta gestão, tecendo pontes para alcançar um público direto formado por servidores, gestore(a)s de equipamentos culturais, conselheiro(a)s de cultura e agentes culturais das diversas linguagens. A programação é fruto das discussões ocorridas nos últimos dois anos junto aos agentes culturais e em conjunto com os gestores da Rede de Equipamentos da Secult, além dos parceiros já consolidados”, contextualiza a coordenadora de Artes e Cidadania Cultura, Valéria Cordeiro.

Vale ressaltar que o Cultura do Acesso é co-criado com o GT de Acessibilidade Cultural da Secult, afinal de contas, “nada sobre nós sem nós”.

Entre 18 e 24 de janeiro, no Youtube da Secult Ceará, cinco palestras on-line pautam assuntos como processos criativos, direito à comunicação e acessibilização de espaços físicos culturais, abrindo a agenda do Cultura do Acesso.

Já em Fevereiro, a primeira quinzena do mês (dia 8 ao dia 10) recebe três encontros para realização de grupos de trabalho focados em museus, bibliotecas, centros culturais e espaços cênicos. Fechando o trimestre, o Cultura do Acesso concentra de 14 a 25 de março uma agenda de mesas, painéis e oficinas com foco na difusão e na formação, a ser divulgada na sequência. De acordo com cenário sanitário no momento, a Secult Ceará divulgará o formato online ou híbrido dos encontros.

• 1º Ciclo de Colóquios Arte, Cultura e Pensamento
Pensar a formação em arte para além das epistemologias e políticas vigentes: este foi o ponto de partida do Ciclo de Colóquios, que destaca o elo da formação na cadeia produtiva da Economia da Cultura, buscando discutir a formação artística como objeto de política pública.

Nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro, bem como 25, 26 e 27, de 16h às 21h, acontecem doze palestras online que versam sobre a formação artística e pontos como políticas públicas, capital cultural e campo das artes, diversidade e territórios. Com nomes confirmados como Daniele Canedo (BA) , Leandro Colling (BA), Beatriz Furtado (CE), Mário Pragmácio (RJ), Raylander Mártis (SP), Cayo Honorato (DF), Glória Diógenes (CE), João Paulo Lima (CE), Ana Paula do Val (SP), Nêgo Bispo (PI), entre outros, o debate pretende ser de alto nível, instigando as trocas e inquietações, certificando quem participar de todos os encontros.

“Nas últimas três décadas, o Ceará vem se destacando pela implementação de distintas iniciativas públicas voltadas para a formação em arte e cultura. As instituições de formação são portadoras, desenvolvedoras e transmissoras de saberes e fazeres, de um legado consolidado e legitimado pelo campo das artes. Estamos falando de formas de conhecimento que se configuram, a um só tempo, como elementos estruturados e estruturantes, produtos e produtores da criação simbólica que identificamos no campo das artes e da cultura. Parece-nos, portanto, de fundamental importância pensar a formação artística como objeto de políticas públicas a partir de algumas perguntas, tais como: Ensinar para quê? Ensinar o quê? Ensinar a quem? Ensinar como?” compartilha o coordenador de Conhecimento e Formação Ernesto Gadelha sobre o ponto dos encontros.

Além dos encontros virtuais, o Ciclo de Colóquios publicará um livro em versão impressa e virtual, reunindo artigos dos especialistas participantes de sua primeira edição. A ideia é que essa publicação possa contribuir para a difusão da produção de conhecimento desenvolvida em torno das políticas de formação em arte e cultura. O registro em audiovisual dos colóquios também será disponibilizado no canal do Youtube da Secult Ceará.

• Webinário Étnico Racial

Nos últimos anos tem sido notória, tanto no âmbito público quanto privado, a urgência de discutir temas como o racismo estrutural e institucional. A Secult Ceará, através da Coordenadoria de Patrimônio Cultural e Memória (Copam) e juntamente com os comitês gestores das culturas étnicas, construiu uma abordagem de formação a partir do seu público interno e do público externo.

A programação oferecerá três aulas magnas acerca de temas que apresentam questões primordiais sobre o combate ao racismo estrutural e institucional, pensamento afro referenciado e as relações étnico-raciais e sua dimensão sobre os fazeres e saberes culturais.

“O Webinário Étnico Racial propõe discutir vários temas que perpassam transversalmente o trabalho realizado pela Secult e seus equipamentos culturais, especialmente o direito à história e a memória dos povos originários, representatividade e construção de lugares de memória e recordação para a diversidade cultural”, pontua a coordenadora de Patrimônio Cultural e Memória da Secult Ceará, Cristina Holanda.

Serviços

Percursos (In)Formativos
Janeiro a Março de 2022
instagram.com.br/percursosinformativos
www.percursosinformativos.com.br

3º Seminário Cultura do Acesso
Entre 18 e 24 de janeiro
Palestras online no Youtube da Secult Ceará
Acesse bit.ly/3culturadoacessopalestras