PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Novas remessas chegam ao Ceará para vacinação de crianças e adultos contra a covid-19

26 de janeiro de 2022 - 11:19 # # # # # # #

Larissa Falcão - Ascom Casa Civil - Texto
Tatiana Fortes - Fotos

Os imunobiológicos pediátricos serão destinados para aplicação da primeira dose (D1)

Para dar continuidade à imunização dos cearenses contra a covid-19, o Ceará recebeu, na madrugada desta quarta-feira (26), o terceiro lote de vacinas pediátricas da Pfizer/BioNTech, com 80 mil doses que serão aplicadas no início da imunização nos pequenos entre 5 e 11 anos de idade. No fim da manhã, chegaram mais 76.050 doses da Pfizer para reforçar a imunização do público a partir dos 12 anos.

Em publicação nas redes sociais, o governador Camilo Santana compartilhou que, até o momento, mais de 30 mil crianças nessa faixa etária já foram vacinadas no Ceará. “Temos cerca de 30 mil crianças entre 5 e 11 anos vacinadas no estado. São 428.993 cadastros confirmados, de um total de 904 mil crianças no Ceará. Seguimos firmes na luta para vacinar nossa população o mais rápido possível”, afirmou.

Enviadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, as cargas desembarcaram no Aeroporto Internacional de Fortaleza. Depois, foram encaminhadas para a Central de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadim), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), de onde serão distribuídas aos municípios em até 24 horas, por meio de rotas aéreas e terrestres.

Até essa segunda-feira (24), quase 16 milhões de doses já tinham sido aplicadas no Ceará. O reforço (D3) chegou ao braço de mais de 2 milhões de cearenses. Já o ciclo vacinal básico, com duas doses ou dose única da Janssen, foi cumprido para 6,6 milhões de pessoas no estado.

Cadastro

A plataforma Saúde Digital é o sistema que viabiliza o cálculo de envio de vacinas por municípios e serve para agendamento às gestões de saúde municipais aderentes.

Para fazer o cadastro, basta acessar o Saúde Digital, dispondo do número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) da criança. Quem já tomou qualquer vacina ou recebeu qualquer atendimento nos serviços públicos de saúde, já possui a numeração do CNS. Esse número consta tanto no cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto nos cartões de plano de saúde. A numeração também pode ser verificada pelo site ou aplicativo ConecteSUS.

Após realizar o preenchimento dos dados na plataforma, o cadastro precisa ser validado por meio de confirmação por e-mail. Mais de 152 mil registros estão pendentes dessa confirmação.

Quem não tem CNS ou não sabe o número, pode procurar postos de saúde e solicitar consulta ou emissão do cartão. É necessário apresentar documento oficial de identificação e comprovante de residência.

A Sesa disponibiliza um canal para a população tirar dúvidas sobre o cadastro de vacinação contra a covid-19 e testagem contra a doença. Os questionamentos devem ser enviados para o e-mail: faleconosco@saude.ce.gov.br

Para receber a aplicação do imunizante, as crianças, acompanhadas por pais ou responsáveis, devem apresentar um documento de identificação oficial. Em Fortaleza, também será necessário apresentar um documento original com foto do responsável pela criança no momento da aplicação.

Vacina é segura

A formulação da vacina infantil, fabricada pela Pfizer/BioNtech, será aplicada em duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas), com pelo menos oito semanas de intervalo entre primeira e segunda doses. Quem completar 12 anos entre a D1 e a D2 deve concluir o esquema vacinal com a dose pediátrica da Pfizer.

Em relação à eficácia, a Pfizer informou, em outubro do ano passado, que a vacina é segura e mais de 90,7% eficaz na prevenção de infecções em crianças nessa faixa etária.

A tampa do frasco virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também por pais, mães e cuidadores – em vez da tampa de cor lilás, utilizada para aplicação com pessoas das outras faixas etárias.

Recomenda-se que a vacina da Pfizer não seja administrada de forma concomitante a outras do calendário infantil, sendo indicado intervalo de 15 dias entre uma e outra.