PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Mais de 800 animais foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros em janeiro deste ano

9 de fevereiro de 2022 - 09:42 # # # # # #

Ascom CBMCE - Texto e fotos

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) registrou mais um resultado positivo. Desta vez, com o resgate de 826 animais em todo o Estado no mês de janeiro de 2022. Entre as espécies resgatadas pelos bombeiros militares estão cobras, jacarés, gaviões, corujas, raposas, entre outros animais silvestres. O balanço do primeiro mês deste ano é superior ao de 2020, quando a corporação resgatou 382 animais, e de 2021, com um total de 605.

Os animais silvestres são protegidos pela lei 9.605 de 1998, de Crimes Ambientais. Os bombeiros militares socorreram ainda animais como bacurau, carcará, cassaco, coruja, égua, garrote, iguana, gato do mato, gavião, gambá de orelha branca, guaxinim, jacaretinga, macaco-prego, sagui, tamanduá-mirim, além de vacas e bezerros. O CBMCE contabilizou, entre os mais resgatados, cobras da espécie jiboia, que faz parte da família Boidae, que inclui as maiores serpentes do mundo, seguido por felinos, iguanas, cassacos e cães.

No último dia 30, uma equipe do CBMCE socorreu um jacaretinga que foi encontrado em um terreno baldio ao lado de residências no bairro Morada dos Ventos II, em Crateús – Área Integrada de Segurança 16 (AIS 16) do Estado. O animal não estava ferido e foi devolvido ao seu habitat natural.

Resgates em 2021

Durante o ano de 2021, o CBMCE resgatou 6.252 animais em todo o território estadual. Entre os atendimentos realizados no ano passado está o de uma cadela que caiu em um poço de 20 metros na cidade do Crato, na AIS 19. Em homenagem a um dos militares que participou do salvamento, a cadela recebeu o nome de Robertinha.

Como acionar os bombeiros

A população pode acionar o Corpo de Bombeiros do Ceará por meio do número 193. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados. O CBMCE orienta que os poços, valas e cacimbas devem ser cercados, sinalizados e tampados para evitar situações de acidentes com animais e crianças.