PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Hospital de Saúde Mental forma dez novos médicos psiquiatras

24 de fevereiro de 2022 - 12:04 # # # #

Milena Fernandes - Ascom HSM


O programa do HSM é referência no Norte e no Nordeste e existe há 45 anos, somando mais de 200 profissionais formados

Mais uma turma de dez novos profissionais especializados em Psiquiatria foi formada pelo Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A solenidade, com o descerramento de placa contendo a foto e os nomes dos residentes, ocorreu nessa quarta-feira (23), no corredor principal do equipamento, reunindo concludentes, professores, diretores e a coordenadora da residência, Nayanna Quezado, que foi homenageada. Esta é a 36ª turma que se forma no HSM.

A Residência em Psiquiatria do HSM é referência no Norte e no Nordeste e existe há 45 anos, com mais de 200 profissionais formados. A coordenadora parabenizou cada psiquiatra e enfatizou que a instituição tem como objetivo, por meio do programa, capacitar médicos para o tratamento e o acompanhamento dos mais diversos transtornos psiquiátricos. “A Residência em Psiquiatria do HSM permite que o profissional se torne um especialista capaz de atuar no cuidado ao paciente, sempre respeitando os preceitos básicos de saúde e da instituição”, frisa Quezado.

No hospital, os residentes realizam atendimentos on-line e presencial, e atuam nas unidades de internação junto aos pacientes com diversos tipos de transtornos e em todos os ambulatórios do equipamento voltados para o atendimento à população, como o de Psicogeriatria e de Psiquiatria Geral. Os profissionais também assistem a casos de psicose de difícil controle, de primeiro surto psicótico, de esquizofrenia, de transtornos ansiosos, de transtornos alimentares, de psiquiatria infantil, de neuropsiquiatria, de transtornos de humor e da sexualidade humana, de interconsulta psiquiátrica, de dependência de álcool e drogas, entre outros.

A residência tem convênios com outras instituições, como os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), serviço do Sistema Único de Saúde (SUS) que atende diariamente pessoas com transtornos mentais.

Empatia e acolhimento

Uma das formandas é a médica Ana Raniele Linhares, 37. Ela define esse período na Residência em Psiquiatria do HSM não apenas como uma oportunidade de aprimoramento profissional, mas também de evolução pessoal. “Tivemos grandes exemplos dos nossos mestres, que, além da transferência dos conhecimentos técnicos, nos transmitiram a importância da empatia e do acolhimento de pacientes e colegas de trabalho. Todos nós, independentemente da profissão, podemos oferecer algum auxílio aos que sofrem, pois até mesmo o simples ato de escutar, de disponibilizar o tempo para ouvir o outro, pode repercutir em alguma melhora ou conforto”, avalia.

Esta turma, que iniciou os estudos em 2019, realizou a especialização no cenário de pandemia de covid-19, tendo de adaptar-se às intempéries do período. “Tivemos de superar o medo do contágio próprio e daqueles que conosco moravam; permanecemos nos adaptando e nunca deixamos de atender os pacientes que necessitavam de assistência e de cumprir todo o nosso dever enquanto residentes. Agora, é seguir com a missão de ajudar os pacientes com sofrimento mental e de permanecer em contínuo aperfeiçoamento”, afirma Linhares.

Ingresso na Residência em Psiquiatria

Para ingressar na especialização do HSM, é necessário participar do processo seletivo promovido pela Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE). A autarquia realiza exame de seleção, estabelecendo os critérios de preenchimento das vagas por meio de edital publicado no Diário Oficial do Estado do Ceará (DOE). São 32 vagas disponibilizadas anualmente pelo programa.

O que faz o psiquiatra?

O psiquiatra é o médico que se dedica à mente humana. O profissional é formado para aliviar o sofrimento emocional e os transtornos mentais por meio da redução dos sintomas e da busca pelo bem-estar e pela saúde mental.

Os especialistas estão aptos a prescrever medicamentos, realizar internações, formular diagnósticos, solicitar e interpretar exames laboratoriais. Eles também podem conduzir psicoterapias ou fazer indicações para este tratamento.