PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Tempo integral na rede de Ensino Médio do Ceará será universalizado até 2026; investimento é superior a R$1,2 bi

7 de março de 2022 - 16:27 # # # # #

Bruno Mota - Ascom Seduc Texto
Carlos Gibaja, Helene Santos e Rosane Gurgel Fotos

Anúncio de efetivação completa de uma das 25 ações do Programa Ceará Educa Mais foi feito junto com entrega de materiais do Pacto pela Aprendizagem aos municípios

O Governo do Ceará vai reforçar os investimentos na rede estadual de ensino, além de garantir equipamentos e materiais didáticos para as escolas municipais de Ensino Fundamental. Nesta segunda-feira (7), o governador Camilo Santana apresentou plano para universalização do tempo integral no Ensino Médio no mesmo evento em que iniciou a entrega de kits de tecnologia e livros didáticos do Pacto pela Aprendizagem às gestões municipais. Participaram também a vice-governadora Izolda Cela, a secretária da Educação, Eliana Estrela, além de outros secretários estaduais, deputados, prefeitos e secretários municipais de Educação, entre outras autoridades.

O plano anunciado vai garantir investimento de R$ 1,37 bilhão no período de 2022 a 2026. Desse total, R$ 1,2 bilhão será destinado à universalização do Ensino Médio em Tempo Integral, sendo R$ 969,7 milhões em construção ou reforma de escolas estaduais e o restante, para aquisição de equipamentos. Essas iniciativas fazem parte do Programa Ceará Educa Mais, que envolve 25 ações, em oito eixos, para proporcionar o fortalecimento da rede pública estadual de ensino.

Camilo Santana defende que o avanço na educação faz parte de um esforço coletivo, baseado em planejamento. “Este é um dos momentos mais importantes para a educação do Ceará. A escola em tempo integral protege a nossa juventude, gera esperança de um futuro melhor e reduz desigualdades. Já chegamos a 60% das nossas escolas funcionando em jornada ampliada e, com os recursos recebidos de precatório, conseguiremos universalizar esta modalidade, com todos os municípios sendo contemplados. Serão 326 novas escolas funcionando em tempo integral até 2026”, pontuou o governador, que ressaltou ainda o trabalho executado para universalização da oferta de Centros de Educação Infantil.

 

Além das 60 novas unidades escolares em tempo integral no ano letivo de 2022, estão planejadas 80 em 2023; 73 em 2024; 82 no ano seguinte; e 31 no último ano do plano.

Gustavo Leite, de 17 anos, cursa a 2ª série na Escola de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTI) Walter de Sá Cavalcante, em Fortaleza. O jovem diz estar achando “um espetáculo” ficar na escola por período maior. “O clima é muito legal. É outro mundo. Quando passamos mais tempo na escola, fazemos mais amizades e nos aprofundamos nos assuntos estudados. Ficamos mais concentrados. E são muitas as opções de eletivas”, explica o estudante.

Maria Clara Bessa, de 14 anos, faz a 1ª série do Ensino Médio na mesma unidade de ensino. Ex-aluna da rede particular, ela se diz “abraçada” pela atual instituição. “Passar os dois turnos na escola está sendo muito melhor do que imaginei. Temos um ótimo suporte com as disciplinas eletivas para reforçar o conhecimento. Achei muito interessante, por exemplo, a de Educação Fiscal. Perto da escola tem um vendedor de salgados e, hoje mesmo, apresentei para ele as possibilidades de se formalizar, tornando-se um microempreendedor individual (MEI) e passando a ter vários direitos, como a aposentadoria”, enfatiza a estudante, que já busca formas de praticar o que aprendeu enquanto auxilia pessoas.

A vice-governadora Izolda Cela observa que buscar a equidade no ensino e não deixar nem um aluno para trás já faz parte da cultura educacional cearense. “O centro do sistema é a escola, a sala de aula. Nosso trabalho tem que repercutir ali, pois é onde a educação acontece de verdade. Vínhamos num crescimento perseverante e vigoroso, e tivemos a pandemia no meio do caminho. Além dos desafios que já nos mobilizavam, agora temos a tarefa de tirar o atraso gerado e recompor a aprendizagem dos jovens, para que continuem seguindo num ritmo de aprendizagem. Temos que ter essa obstinação”, frisa Izolda.

A secretária Eliana Estrela lembra que o objetivo maior da Educação é proporcionar às crianças e jovens o acesso à escola e à aprendizagem na idade certa, para que consigam realizar seus projetos de vida. “A expansão do tempo integral representa a compreensão de que a oportunidade dada aos jovens, de dedicarem mais tempo aos estudos, será importante para o seu crescimento. Escola é lugar de sonhos, onde reunimos muitas histórias de vida. A pandemia nos trouxe perdas e incertezas, e esse movimento é importante para que possamos continuar sonhando”, pondera a secretária.

Pacto pela Aprendizagem

O evento também marcou o início da entrega dos equipamentos tecnológicos e livros didáticos do Pacto pela Aprendizagem, que serão distribuídos às prefeituras dos 184 municípios para fortalecer o ensino nas 3.966 escolas de Ensino Fundamental. A iniciativa envolve um investimento de R$ 130 milhões.

“Sabemos que a pandemia prejudicou, principalmente, as nossas crianças mais novas. Isso pede um esforço coletivo para reverter a situação, e o que fizemos foi o Pacto pela Aprendizagem, que envolve parceria, compromisso e investimento”, argumenta Camilo Santana.

Ao todo, serão entregues 30.310 equipamentos, entre os quais estão notebooks, webcams, tripés, roteadores e impressoras. Também serão distribuídos os materiais “Fortalecendo Aprendizagens”, organizados em três volumes, com conteúdos de língua portuguesa e matemática para atender alunos e professores do 4º ao 9º ano. Os livros foram elaborados pelo Programa Cientista Chefe – Educação, com a colaboração da equipe da Coordenadoria de Cooperação com os Municípios (Copem) da Secretaria da Educação.

Lançado em agosto de 2021, o Pacto pela Aprendizagem tem o objetivo de fortalecer o regime de colaboração entre o Estado e os municípios cearenses para promover a recomposição da aprendizagem dos estudantes do Ensino Fundamental diante do contexto de pandemia. A ação articula iniciativas para implementar ciclos de recomposição das aprendizagens nas redes municipais e garante equipamentos para as escolas municipais, plataformas de aprendizagem e materiais de apoio a professores e alunos das redes e escolas.

A ação, iniciada no ano passado, terá continuidade até dezembro de 2022, com o objetivo de acompanhar todos os municípios cearenses na transição do ensino remoto para o presencial.

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão, enalteceu a política de colaboração mantida pelo estado junto às administrações municipais. “O Ceará é referência na educação não por acaso, mas pelo esforço e dedicação de um conjunto de profissionais, que além de compartilharem seus conhecimentos, também contribuem para socializar crianças e jovens. Não haveria os bons resultados que estamos colhendo se, além dos investimentos, não tivéssemos a pactuação com os municípios”, salienta.

No total, o Governo do Ceará destinou R$ 130 milhões para o desenvolvimento das ações do Pacto. Desse total, R$ 50 milhões foram investidos em tecnologia, plataformas de aprendizagem e material de apoio à recomposição das aprendizagens de estudantes das escolas municipais. Já R$ 80 milhões foram transferidos aos municípios para que utilizassem na reforma e aquisição de equipamentos para as escolas; na compra de veículos de transporte escolar; no reforço da conectividade com equipamentos tecnológicos; na implementação de tempo integral na rede municipal e no apoio às atividades extracurriculares para atuar na recuperação das aprendizagens dos alunos.

O Pacto pela Aprendizagem no Estado do Ceará foi concebido pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Educação, em parceria com o Programa Cientista Chefe.