PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Ceará gera 81,4 mil empregos formais em 2021

15 de março de 2022 - 17:06 # # # #

Pádua Martins - Ascom Ipece - Texto
Helene Santos e Nivia Uchoa - Foto

O Ceará, em 2021, gerou 81,4 mil empregos formais (com carteira de trabalho assinada), o terceiro melhor desempenho do Nordeste (Bahia ficou com 133,7 mil e Pernambuco com 89,6 mil), representando um estoque final para o ano de 1.224 mil vagas de trabalho.

No entanto, analisando o resultado do quarto trimestre de 2021, o Ceará ocupou a segunda colocação no Nordeste, com 17,02 mil empregos formais, contra 22,1 mil da Bahia (primeiro lugar) e Pernambuco, com 16,2 mil. Com o desempenho verificado no ano passado (81,4 mil), o estado ficou na 10ª primeira posição no ranking nacional. Todos os três grandes setores do mercado de trabalho cearense geraram vagas de trabalho formal em 2021, com destaque para a forte recuperação observada no setor de serviços gerais, seguido pela indústria e agropecuária.

O Brasil gerou, no ano passado, 2,2 milhões de vagas formais de emprego. O maior saldo foi observado em fevereiro (+397.677 vagas), seguido por agosto (+378.346 vagas); setembro (+321.589 vagas) e junho (+310.335 vagas). Apenas em dezembro foi verificada perda num total de 265.811 vagas. Em relação ao Nordeste foram registrados dez saldos mensais positivos e apenas dois saldos mensais negativos no ano passado. Os maiores saldos mensais foram em setembro (+93.709 vagas); agosto (+83.752 vagas) e novembro (+53.666 vagas). Os dois saldos negativos ocorreram em dezembro (-15.823 vagas) e março (-2.030 vagas). Os três estados com os maiores saldos positivos de empregos foram: São Paulo (+814.035 vagas); Minas Gerais (+305.182) e Rio de Janeiro (+178.098).

No mercado de trabalho cearense também foram registrados dez saldos mensais positivos e apenas dois negativos em 2021. Os maiores saldos mensais positivos foram observados nos meses de agosto (+15.460 vagas); setembro (+13.045 vagas) e julho (+11.925 vagas), todos no terceiro trimestre do ano de 2021. Os dois saldos negativos também ocorreram em março (-4.669 vagas) e dezembro (-1.103 vagas). Os dados estão no Ipece/Informe (nº 210 – março/2021) – Recuperação dos empregos formais cearenses em 2021, que acaba de ser publicado pela Diretoria de Estudos Econômicos (Diec) do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). O trabalho já pode ser acessado na página do Instituto.

Saldo por atividade

De acordo com o analista de Políticas Públicas do Ipece Alexsandre Lira Cavalcante, autor do trabalho, em 2021 todos os três segmentos da economia 9 Agropecuária, Serviços e Indústria) geraram vagas de trabalho formal, com destaque para a forte recuperação observada no setor de serviços gerais (+58.479 vagas); seguido pela indústria geral (+22.281 vagas) e por fim, pela agropecuária (+700 vagas). Dentro do setor de serviços gerais, o grande destaque ficou com a atividade de comércio (+19.806 vagas), revelando nítida recuperação das perdas em 2020, seguido pela atividade de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (+19.684 vagas) que manteve um ritmo de crescimento na geração de vagas no mercado de trabalho cearense.

A atividade de saúde humana e serviços sociais (+7.158 vagas) também registrou aceleração no ritmo de contratações. Seguido pela atividade de alojamento e alimentação (+5.054 vagas), “que não recuperou ainda as perdas de vagas observadas em 2020, mas já demonstra certa retomada das principais atividades características do turismo local” – explica. Como resultado da flexibilização das medidas de isolamento social e do retorno do emprego e expansão da renda, a atividade de outros serviços (+3.995 vagas) também apresentou recuperação das perdas verificadas no ano anterior.

Dentro os outros serviços se destacaram atividades de serviços pessoais, arte, cultura, esporte e lazer. A atividade de Transporte, armazenagem e correio (+2.286 vagas) foi a última do setor de serviços gerais a gerar mais de duas mil vagas em 2021. A atividade de educação (+849 vagas) também registrou saldo positivo, mas ainda não recuperou as perdas de 2020.O destaque dentro do setor da indústria geral foi a atividade da indústria de transformação (+12.685 vagas) que também acelerou o ritmo de contratações em 2021.

A atividade da construção (+7.915 vagas), aproveitando o bom momento de aumento da renda e do crédito barato e acessível, dado a baixa histórica da taxa Selic, também apresentou aceleração no ritmo de contratações. A atividade de Água, Esgoto, Atividades de Gestão de Resíduos e Descontaminação (+1.392 vagas) também registrou forte criação de vagas de trabalho formal em 2021. A indústria extrativa (+261 vagas) também aumentou suas contratações no último ano. Para finalizar, ele ressalta que o setor de serviços gerais continuou sendo o responsável pela maior parte do estoque de empregos formais no mercado de trabalho cearense, seguido pela indústria geral e pela agropecuária, que respondeu por uma fatia pouco expressiva dos empregos formais cearenses.