PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Décima primeira empresa é instalada dentro do sistema prisional cearense

1 de abril de 2022 - 14:04 # # #

Ascom SAP

A Secretaria da Administração Penitenciária proporciona a inclusão social dos internos do sistema prisional através da educação, da qualificação profissional e do trabalho. Com o intuito de despertar e desenvolver competências das pessoas privadas de liberdade, o remodelado sistema penitenciário do Ceará acaba de inaugurar a 11ª empresa. Desta vez, a Unidade Prisional Professor José Sobreira de Amorim recebe a “Top London”, empresa especializada em confecção de peças de vestuário feminino e gera, nessa fase inicial, 20 vagas para internos deste presídio.

A instalação de empresas dentro das unidades prisionais faz parte do projeto Cadeias Produtivas. Nesta proposta, os internos trabalham 40 horas semanais e recebem remição de pena a cada três dias trabalhados. A metade do salário é enviada a família, 25% entra como depósito judicial para benefício futuro do interno em liberdade e os outros 25% retornam ao sistema prisional para investimento em melhorias.

O secretário da administração penitenciária, Mauro Albuquerque, destaca a transformação do sistema. “Hoje em dia nossa realidade é outra. A instalação de mais uma empresa dentro das unidades prisionais mostra que tudo que nós queríamos fazer está dando certo, ou seja, oferecer estudo, capacitação e trabalho. E o mais importante, em grande escala. Nosso objetivo é dar cada vez mais oportunidades aos internos para saírem daqui com mais condições de não retornarem ao mundo do crime”, afirma.

A proprietária da Top London, Mara Bessa, se sente confiante em colocar sua empresa para fazer parte dos núcleos produtivos no sistema prisional. “Está sendo muito gratificante iniciar essa experiência. Queria agradecer a oportunidade e aproveitar para chamar outros empresários para conhecer o projeto. Pois desde quando me instalei no sistema só tive surpresas positivas no quesito de qualidade, produtividade e custos. Mas acima de tudo isso, é muito bom voltar pra casa com a sensação de dever cumprido por estar fazendo algo pela sociedade”, conclui.

O interno e trabalhador da empresa Top London, Cássio Torres, agradece a chance de reescrever sua história. “Essa oportunidade é um recomeço na minha vida. Estou adquirindo novos conhecimentos que irei usar lá fora. Antes de entrar no sistema minha realidade era outra, mas agora com esse trabalho estou fazendo valer a pena. Espero encontrar portas abertas no mercado de trabalho para viver tranquilo e ressocializado”, atenta.

Contato

Empresários ou industriais interessados podem entrar em contato com a Coordenadoria de Inclusão Social do Preso e do Egresso no telefone 3101-7714 ou através do e-mail.