PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Da conversa na calçada ao ensino da música: gentilezas aproximam Copac da PMCE dos moradores das comunidades

9 de novembro de 2022 - 16:07 # # # # #

Lucas Memória - Ascom SSPDS Texto
Paulo Victor Cavalcante Fotos
Paulo Victor Cavalcante e Kiko Barros vídeo e edição

Ao descobrir os interesses da comunidade, policiais militares do Copac conseguem se aproximar dos moradores e criar vínculos que ultrapassam as barreiras do policiamento tradicional

Vitória Rios* é assistente social. Com habilidade para a escuta humanizada de vítimas da violência doméstica, a profissional precisou do mesmo acompanhamento que sempre direcionou outras mulheres. Fragilizada, encontrou no afeto de policiais do Comando de Prevenção e Apoio às Comunidades (Copac) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), o apoio necessário para se reerguer após a situação de violência doméstica. “Me senti apoiada e amparada pelos policiais Ingrid e Barreto. Eu fiquei maravilhada com o conforto que eles me proporcionaram. Durante três meses, recebi visitas, e hoje, posso dizer que quem me resgatou novamente à vida foram esses policiais militares. Fui muito bem acolhida e vou levar essa gratidão que sinto por eles, pelo resto da minha vida”, relata emocionada.

Na semana em que a terra celebra o Dia Mundial da Gentileza, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) mostra a relação de proximidade e afeto entre a sociedade e os policiais militares da unidade especializada, que integra a estrutura da PMCE, e que foi entregue pelo Governo do Ceará no primeiro semestre deste ano.

O policiamento comunitário é conhecido fora do Brasil. Em países como Estados Unidos, Canadá e Japão, a implantação do modelo estratégico foi fundamental para reduzir a vulnerabilidade das comunidades e fortalecer políticas públicas sociais e culturais. No Copac da PMCE, o trabalho preventivo é feito de forma imersiva. Cada bairro que recebe uma unidade conhece os policiais militares que vão acompanhar a rotina do lugar.

Cada base do Copac-PMCE tem um número de WhatsApp disponível para a comunidade.

Assim, ações como convidar os agentes de segurança para tomar um café, conversar na calçada ou auxiliar na matrícula de uma criança na escola tornam-se uma rotina no local. “[Esses policiais] têm uma formação específica, exatamente para essa área relacionada ao policiamento de prevenção qualificada. É uma ação que eu acredito, muito forte. Não é algo defendido somente por nós, mas o mundo mostra experiências desse tipo. Países que venceram desafios ainda maiores, que aqueles que temos, têm na agenda estratégica esse tipo de ação, que se integra, inclusive, com as ações de prevenção social”, destaca a governadora do Ceará, Izolda Cela.

Alunos-soldados da PMCE recebem formação de Direitos Humanos para atuar no Copac.

O atendimento às mulheres em situação de vulnerabilidade é uma das especialidades do Copac-PMCE, realizado por meio do Grupo de Apoio às Vítimas de Violência (Gavv), um dos quatro grupos focais sob responsabilidade da unidade. Eles ainda mantêm uma parceria, firmada no primeiro semestre, com o Centro Estadual de Referência LGBT Thina Rodrigues, para o acompanhamento contínuo de pessoas LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade. Soma-se ao GAAV, o Grupo de Segurança Comunitária (GSC), o Grupo de Segurança Escolar (GSE), o Grupo de Prevenção Focada (GPF), além dos projetos sociais ministrados por integrantes do efetivo.

Dona Nireuda costuma receber os policiais militares do Copac da PMCE em casa.

O trabalho ganha a simpatia dos moradores dos bairros onde tem unidade Copac. Na residência da dona de casa Maria Nireuda, tanta atenção recebida dos policiais militares é agradecida com o café da tarde, um sorriso e um abraço, durante cada visita. “Eles tratam a gente muito bem. Com carinho, educação. E a gente se sente muito à vontade para conversar e pedir o que quer […] e eles se interessam em ajudar a gente”, conta a aposentada, que celebra a proximidade da comunidade com os policiais. “Se a gente precisar de alguma coisa, sabe com quem contar. Já dou até um bom dia [no WhatsApp] e eles respondem. Eles procuram cursos para os moradores, querendo ajudar. Cursos de manicure, cabeleireiro, trouxeram até os bombeiros para fazer ginástica com a gente. Não tinha antes, agora tem. Ajuda na qualidade de vida”, detalha.

O afeto é recíproco. O aluno-soldado da PMCE, Silas Douglas, está no estágio, período em que o recém-aprovado no concurso da Polícia Militar do Ceará conhece, no campo, a rotina da corporação. Lotado no Copac, diz que, se for possível, pretende ficar na unidade no fim da fase experimental. “É uma filosofia que eu acredito, essa da prevenção. Quando eu cheguei aqui, passei até uma percepção diferente de policiamento. Somos uma Polícia que está dentro e se envolve com a comunidade. Se eu tiver oportunidade, vou ficar por aqui”, diz.

Os jovens se envolvem

Despertar a empatia, autoconfiança e amor à educação. Com essas premissas, os policiais militares desenvolvem atividades culturais que relacionam música, esporte, com as crianças e adolescentes dos bairros. Para participar, no entanto, o jovem deve manter um bom desempenho nas disciplinas da escola. O carinho pelos projetos é tão grande, que a estudante, Andressa Fernandes, descobriu praticando karatê com outros jovens, sob a coordenação do subtenente da PMCE, Antônio Silva, a vocação profissional. “Quero ser professora, porque descobri aqui o desejo de ensinar”, revela.

Andressa Fernandes descobriu a vocação para a docência, por meio de projeto social do Copac-PMCE.

Para a capitã da PMCE, Júlia Dantas, despertar o interesse dos jovens para o esporte e cultura faz parte da missão do Copac. Ela participa de um projeto, que ensina crianças e adolescentes a tocar instrumentos musicais. “O policial do Copac chega, acolhe, participa das demandas da comunidade, mas a gente também quer oferecer a oportunidade de trazer arte, para uma população que precisa disso também. Através da música, com a flauta e o violão, oferecemos aulas gratuitas com policiais militares que também são músicos e isso ajuda a afastar o jovem da ociosidade”, explica a militar.

Policiais militares do Copac se dedicam a ensinar música para os jovens das comunidades.

Pai de dois meninos, ambos participantes das aulas ministradas nos projetos do Copac, Francisco Adailson celebra a mudança na rotina dos irmãos. “O comportamento dos meus filhos se transformou. Antes, eles queriam ficar nas ruas. Com o esporte, passaram a ter mais foco em tudo que se envolvem, inclusive os estudos e no esporte mesmo, que é a paixão deles”, comenta.

Tudo dando certo

gentilez

Major Messias Mendes é o comandante do Copac da PMCE.

Entusiasta do Comando de Prevenção e Apoio às Comunidades, o major da PMCE Messias Mendes, comandante do Copac, celebra que a missão da unidade especializada tem sido cumprida. O resultado positivo, segundo o militar, é verificado a cada convite para aniversário, almoço ou demonstração de interesse da comunidade, em ter o policial militar mais próximo. “Um dos princípios do Copac é o relacionamento com a comunidade. Então, nossos policiais são exigidos durante a formação, em especial, essa habilidade para se relacionar com a população, uma comunicação não-violenta e entendimento dos Direitos Humanos. Uma das nossas estratégias, dentro desse viés, é abrir a porta do batalhão para a comunidade, que acessa nossas iniciativas. Em outros casos, oferecemos a nossa estrutura para projetos que eram tocados pela população, mas que careciam de espaço físico”, detalha. “Não queremos disputar, de forma bélica, com o crime. Somos mais que isso. Nossa disputa é pela mente das pessoas, mostrando que o Estado é um instrumento racional e humanizado, das garantias de segurança. As pessoas visitam nosso batalhão e ficam entusiasmadas com nossa estrutura, nossos projetos. Isso gera vínculo e também nos entusiasma a continuar nosso trabalho”, finaliza.

Gentileza gera gentileza

A frase famosa do brasileiro José Datrino, conhecido como Profeta Gentileza, mostra o retorno da população ao trabalho desenvolvido pelos policiais militares do Copac. Ao buscar compreender cada morador, de forma humanizada e individual, o PM ganha amigos na comunidade, unidos no propósito de fortalecer o sentimento de harmonia.

No próximo domingo (13), celebra-se o Dia Mundial da Gentileza. Para a data, que surgiu em uma conferência realizada em 1996 na cidade de Tóquio, a SSPDS cumprimenta e parabeniza o Copac-PMCE.

*O nome da assistente social foi alterado para preservar a vítima.