PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Confira as dicas de segurança para todos que frequentam as praias

24 de novembro de 2022 - 10:29 # # # #

Ascom CMBCE -Texto e fotos

Conhecido como um estado de clima quente e acolhedor, o Ceará é um dos destinos mais procurados pelos turistas de todo o Brasil, e também do mundo, no réveillon e ao longo do ano. Por isso, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS), por meio do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), orienta a todos para que aproveitem o período com segurança no nosso litoral.

A ocupação hoteleira no estado deve ultrapassar a marca de 95%, de acordo com a estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE) durante o réveillon. Em janeiro, esa estatística deve ser de 80%.

Neste período, a Capital recebe um aumento no fluxo de pessoas visitando as praias, principalmente turistas de outras cidades e que muitas vezes nunca estiveram no mar, ou se estiveram, não conhecem as singularidades das praias cearenses. Por causa disso, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), por meio da 1ª Companhia de Salvamento Marítimo do Batalhão de Busca e Salvamento (1ª CSMAR/BBS), apresenta algumas dicas para prevenção em situações de afogamento.

Em Fortaleza, a Praia do Futuro é muito dinâmica, com um relevo submarino bem diferente, fortes ventos e correntes marítimas variadas. Incidentes na água podem acontecer caso os riscos não sejam mitigados. Para evitar esses casos, tanto em uma das praias mais movimentadas do Ceará, como nas demais em território cearense, os banhistas devem, primeiramente, buscar informações sobre as características da praia com os profissionais guarda-vidas do Corpo de Bombeiros Militar ou de outras instituições que estejam na região, como é o caso da Inspetoria de Salvamento Aquático (ISA) da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF).

Esses profissionais repassarão as dicas necessárias para uma diversão correta e com responsabilidade, evitando que os banhistas locais e turistas sejam apanhados pelas famosas correntes de retorno, buracos no relevo submarino, acidentes com animais marinhos e outros tipos de ocorrências.

“É importante o banhista procurar nadar em áreas supervisionadas por guarda-vidas, pois os bombeiros militares conhecem as áreas seguras para banho. É importante também seguir as orientações desses profissionais e nunca simular um afogamento, bem como evitar entrar após ingerir com bebida alcóolica, saltar em lugares desconhecidos como plataformas, cachoeiras ou pilares. Em embarcações ou áreas de risco, sempre usar o colete salva-vidas. Já em caso de chuvas com raio, não ficar na água”, explica o major QOA BM Fernando Chailon Oliveira Barros, comandante da 1ª CSMAR/BBS.

Postos de guarda-vidas na Praia do Futuro

O CBMCE dispõe de nove postos de guarda-vidas do Corpo de Bombeiros Militar distribuídos ao longo da Praia do Futuro. No período de alta estação, o efetivo é ampliado para dar suporte aos banhistas. Assim, não faltam opções de pontos de apoio onde obter informações sobre a praia e garantir uma diversão segura. Além dos postos fixos, a prevenção é reforçada por meio do patrulhamento entre os postos com uma viatura 4×4, uma motoaquática e uma ambulância tipo resgate.

Atenção com crianças

Na praia, os cuidados devem ser redobrados, principalmente, com os pequenos. Os pais ou responsáveis não devem perder de vista. As correntes de retorno são as principais causadoras de afogamentos no mar. Elas aparecem em locais rasos, são águas mais escuras, com pouca ou nenhuma onda.

É preciso ficar atento aos riscos ligados às crianças brincando no mar sem a supervisão de um adulto. É preciso ter em mente que elas estão expostas a todos os perigos já mencionados, só que potencializados pela baixa estatura e pela pouca maturidade para lidar com os movimentos imprevistos das águas. Por isso, todas as orientações válidas para os adultos se aplicam a elas, com um acréscimo importante: a supervisão de um responsável deve ser permanente e a uma distância máxima de um braço do responsável.

“Os cuidados com as crianças devem ser redobrados, os pais ou responsáveis devem conversar com elas e estabelecer regras de seguranças. Importante destacar que boias não são um item de segurança. Nos postos do CBMCE, os pais ou responsáveis podem procurar a pulseirinha de identificação para colocar na criança. Orientamos os banhistas a não tentarem lutar contra a correnteza, mas flutuar, erguer a mão e pedir ajuda. Em casos de acidentes com água viva é importante lavar o local com água do mar ou vinagre, além de procurar a unidade de saúde mais próxima”, orienta o major QOA BM Fernando Chailon.

É comum, as ocorrências de crianças perdidas na praia, para tanto, o CBMCE dispõe de pulseirinhas que podem ser requeridas nos postos de guarda-vidas para identificação do pequeno. Ao receber a pulseirinha, o pai ou responsável põe seus dados e contatos para ser utilizado caso a criança se perca.

Prevenções passivas

Além das prevenções ativas que os guarda-vidas fornecem à população, existem as prevenções passivas que auxiliam na preservação da segurança dos frequentadores da praia, como: placas de sinalização de risco, material impresso e pulseiras para identificação de crianças.

“Em casos que a vítima de afogamento peça socorro, orientamos a população a buscar o salva-vidas mais próximo. Ele é devidamente orientado para realizar o salvamento e buscar a equipe de apoio do CBMCE. Se quem for ajudar não tiver treinamento aquático, não deve entrar para salvar a vítima. É importante observar a vítima, jogar para ela algum objeto flutuante para se agarrar, e ligar imediatamente para o número 193. Na ligação, a pessoa deve responder às perguntas do atendente, como local exato da emergência e número de vítimas. As informações são importantes para serem acionadas as equipes corretas para o salvamento”, ressalta Chailon.