Potencial turístico na próxima década em debate

12 de abril de 2010

Uma série de objetivos, estratégias e metodologias para desenvolver o turismo no Brasil e consolidá-lo para depois dos grandes eventos esportivos dos próximos anos vai ser nesta terça-feira, 13, no auditório da Setur, às nove horas. O evento será aberto pelo Secretário  do Turismo do Estado, Bismarck Maia.

 

Trata-se do Plano Aquarela 2020, gestado pela Embratur (Empresa Brasileira de Turismo) em parceria com órgãos de turismo de todos os estados. Este projeto vai dar um norte para a qualificação, promoção internacional, definir os principais produtos de cada estado e seu nicho no mercado externo e buscar parcerias com o setor privado para os próximos 10 anos.

 

Foco nos grandes eventos esportivo

 

O grande desafio desta etapa do Plano Aquarela é perenizar os benefícios advindos com a Copa de 2014 e as Olimpíadas 2016, quer seja na infra estrutura urbana, quer seja no incremento do fluxo turístico. A Embratur projeta que ao menos 500 mil estrangeiros visitem o país durante a Copa. Dois anos depois, somente a cidade do Rio de Janeiro, deve receber 380 mil turistas. 

 

A última copa, realizada em Berlim, na Alemanha, teve um impacto de 9 bilhões de euros no PIB (Produto Interno Bruto). Os Jogos Olímpicos em Londres (2012), que antecedem aos do Rio (2016), devem gerar 2,1 bilhões de libras esterlinas para a Inglaterra.

 

Fluxo brasileiro não ultrapassa 0,6% do mundial

 

Os dados mais recentes, referentes a 2008, apontam que o Brasil recebe anualmente 0,54% do fluxo turístico mundial. São 5 milhões de visitantes, que gastaram US$ 5,8 bilhões. Estes números ainda são modestos diante da capacidade do País e do turismo no mundo: em 2008, 922 milhões de pessoas visitaram países diferentes do seu, gerando US$ 1,1 trilhão e movimentando 30% de todas as importações e serviços mundiais. 

 

Este filão da economia cresceu exponencialmente nas últimas décadas. Até os anos 1970, o número de pessoas que viajavam para fora do país de origem era 277 milhões. Duas décadas antes, 97% dos turistas limitavam-se a 15 países da América do Norte e Europa.

 

12.04.2010

Assessoria de Imprensa da Setur

Carmen Inês/Tunay Peixoto (carmeninesm@hotmail.com / 85 31010.4661 – 8732.2041)