Nível de ocupação aumenta 5,9% nos últimos 12 meses

28 de abril de 2010

Nos últimos 12 meses, 38 mil pessoas deixaram a situação de desemprego (-17,8%) na Região Metropolitana de Fortaleza, resultado da criação de 86 mil postos de trabalho, elevando a participação de 57,1% para 57,6% no no período em análise e diminuindo o taxa de desemprego de 12,8% para os atuais 10,2%. Isso é o que aponta a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgada nesta quarta-feira (28). Ainda segunda a PED, na comparação interanual, o crescimento de 5,9% do nível de ocupação foi resultado do desempenho positivo da indústria de transformação (14 mil novas vagas), serviços (41 mil), construção civil (22 mil) e do comércio ( 24 mil). O agregado “outros setores” eliminou 15 mil postos de trabalho. No período o número de carteira assinada cresceu 11,2%, o equivalente a 57 mil e o emprego assalariado sem carteira assinada foi reduzido em 9 mil ocupações (-4,3%).

 

A Pesquisa apresenta ainda que no último mês de março, apesar da sazonalidade do mercado, que aumentou a taxa de desemprego em 0,3 ponto percentual, os indicadores são melhores do que os do mesmo período do ano passado, com 10,2%, e continua sendo um dos menores entre as regiões metropolitanas pesquisadas: Salvador (19,9%), Recife (19,3%), Distrito Federal (14,7%), São Paulo (13,1%), Belo Horizonte (10,2%) e Porto Alegre (9,8%).

 

Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Francisco de Assis Diniz, “este período é tradicionalmente desfavorável ao emprego, mas podemos perceber que os indicadores, tanto de ocupação como de desemprego, são bem mais favoráveis do que os do ano passado, que, além da sazonalidade do período, contava com os efeitos da crise mundial – cenários de incertezas, restrição de crédito, dentre outros. Temos, assim, boas perspectivas para o mercado de trabalho, em 2010”.

 

28.04.2010

 

Assessoria de Comunicação do IDT

Ana Clara Braga (anaclara@idt.org.br/ 3101.5500)