Governo recupera patrimônio histórico cearense

9 de junho de 2010

Restauração do Centro Histórico de Aquiraz, Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Seminário da Prainha, Palácio da Abolição e recuperação do Teatro Carlos Câmara, além do recém inaugurado Centro de Turismo (Emcetur). Essas são algumas ações do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria do Turismo (Setur), com o intuito de recuperar o patrimônio histórico e arquitetônico cearense e incentivar o turismo cultural. Para o secretário do Turismo, Bismarck Maia, estas obras significam para o turismo “complementar a estratégia do Governo de não apenas promover e capacitar, mas também olhar para as infraestruturas e edificações históricas”.

 

A Igreja e o Seminário da Prainha têm obras de restauro na fase de conclusão. As fachadas, tombadas pelo Patrimônio Histórico Estadual há dois anos, possuem um conjunto de azulejos portugueses do século XIX. Para a preservação deste acervo e outras melhorias como na acessibilidade, foram investidos R$ 1.230.620,52.

 

Reinaugurado em março, a Emcetur recebeu melhorias nos blocos norte, central e sul; reforma das 105 lojas e instalação de novas estruturas elétricas, hidráulicas, de refrigeração, banheiros, restaurante, lanchonete e quiosques. Também foi instalado um elevador panorâmico, trocadas a pintura e o piso, agora de pedra colonial, instalados jardins e estacionamento para 42 carros. As obras receberam investimentos de R$ 1.976.640,00. A construção, concluída 1866 para abrigar a Cadeia Pública, funciona como ponto turístico e de venda de artesanato desde 1973, quando foi fundada a Empresa Cearense de Turismo – Emcetur. Desde então, o prédio não passou por reformas, mesmo após o tombamento como patrimônio histórico estadual em 1982.

 

A vizinhança do Centro de Turismo também vai receber outras intervenções, como a reforma do Teatro Carlos Câmara (no mesmo quarteirão do equipamento) e construção de estacionamento e jardins nos arredores para ônibus e turistas, em terreno em processo de desapropriação. Isto, além de dar mais comodidade aos visitantes e desafogar o trânsito local, vai favorecer a visibilidade para quem passa na avenida Leste Oeste e formar junto com a Estação João Felipe, Santa Casa e Passeio Público, o maior corredor arquitetônico e histórico preservado em Fortaleza.

 

O Teatro Carlos Câmara teve ordem de serviço assinada em março, onde estão sendo aplicados R$ 3,2 milhões. Desativado desde 1995, a capacidade deve saltar dos atuais 264 lugares para 372, graças à instalação de balcão e plateia mais íngreme, além da instalação de um salão de exposições e palco externo.

 

Outra construção histórica que está sendo restaurada pela primeira vez é o Palácio da Abolição, inaugurado em 1970 e tombado pelo Patrimônio Histórico estadual por ser exemplar típico do Movimento Moderno da arquitetura brasileira. Cerca de metade das obras, orçadas em R$ 21 milhões e que empregam 142 trabalhadores, já estão prontas. No segundo semestre, o Palácio o gabinete do Governador, além de auditório para 132 lugares com palco e plataforma elevatória, central de monitoramento do Palácio, sala de espera, galeria de arte, biblioteca e salão de eventos voltados para uso público e eventos culturais e turísticos. Ao todo, são 7.641,71 metros quadrados do complexo, que vai receber melhorias nos espaços do palácio, do anexo, da passarela. Ainda estão incluídos no projeto toda a área externa, que compreende jardins, muros, escadas, rampas e estacionamento.

 

09.06.2010

Assessoria de Imprensa da Setur

Tunay Moraes Peixoto (ascom@setur.ce.gov.br / 85 3101.4654)