Mais de 56 mil pessoas saíram da fila de espera por cirurgias eletivas

5 de agosto de 2010

A espera por cirurgias eletivas, no Ceará, acabou para 56 mil e 262 pessoas. Esse é o número de pacientes que o Programa Vida Nova, desenvolvido pela Secretaria da Saúde do Estado, tirou da fila de espera de 2008 para cá. Havia pacientes esperando a realização da cirurgia, principalmente de ortopedia, tireóide, hérnia, desde o ano 2000. Em 2008, foram feitas 20 mil e 167 cirurgias eletivas, um investimento de R$ 9 milhões e 635 mil. Em 2009, o número de cirurgias aumentou, chegando a 22 mil e 50, com o governo do Estado investindo R$ 12 milhões e 802 mil. Neste ano, até agora, já foram realizadas 14 mil e 55 cirurgias, no valor de R$9 milhões e 263 mil. No total, nesses três anos do Programa Vida Nova foram aplicados R$ 31 milhões e 699 mil.

Quando o Vida Nova foi lançado, no início de 2008, havia 22 mil e 360 pessoas, dos diferentes municípios cearenses, na fila de cirurgias eletivas. Na proporção em que a demanda acumulada era atendida, novos pacientes eram incluídos no Programa Vida Nova e as cirurgias feitas sem parar. “O Vida Nova é um programa, uma ação permanente de governo, que veio para reduzir significativamente um das principais dificuldades na saúde, que é o acesso a cirurgia eletiva, aquela que pode ser programada, que não é de urgência e emergência”, afirma o Secretário da Saúde do Estado, Arruda Bastos.

As cirurgias eletivas do Vida Nova, além de serem realizadas nos hospitais da rede estadual, são feitas também em hospitais conveniados com a Secretaria da Saúde do Estado. “Com mais hospitais envolvidos, tanto na capital como no Interior do Estado, em fazer as cirurgias eletivas a fila foi reduzida num ritmo bem mais rápido. Acabamos com o sofrimento de muita gente que durante anos aguardava a sua vez e ter vida nova”, disse Arruda Bastos.

05.08.2010
Assessoria de Imprensa da Sesa:
Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br – 85 3101.5220)