Brasil e Canadá discutem em Fortaleza gestão do conhecimento e inovação em saúde

5 de novembro de 2010

O Brasil e o Canadá – dois países que possuem uns dos maiores sistemas de saúde pública no mundo – vão dialogar e trocar experiências nos dias 8 e 9 de novembro, em Fortaleza, no I Workshop Internacional de Gestão do Conhecimento e Inovação em Saúde. O evento será realizado no Hotel Mareiro (Av. Beira Mar, 2380) pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Ripass e Abrasco, com apoio do governo do Estado do Ceará, Funcap, BNB e Instituto Centec.

 

O presidente do Instituto Centec, Odorico Monteiro, observa que o Brasil e o Canadá possuem sistemas de saúde fortes e são grandes consumidores de tecnologia, com desafios na gestão do conhecimento e na necessidade de adoção de inovações em saúde. “O complexo produtivo da saúde é o maior responsável pelo déficit na balança comercial do Brasil. O país é dependente de importações até de sais para a produção de aspirina, comprados na Índia, disse ele.

 

A aplicação do conhecimento na geração de produtos para o Sistema Único de Saúde (SUS) de modo a evitar a importação de insumos e ampliar a sua base de cobertura territorial faz parte de uma estratégia do país. A iniciativa consubstancia o Programa Mais Saúde: estratégia do setor saúde para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, que prevê nas ações da Fiocruz orçamento de R$ 1.016.930.000,00 no Programa Plurianual (PPA) e R$ 1.868.890.608,00
para expansão.

 

Os recursos são destinados à implantação do Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e à estruturação de cinco novas unidades da Fiocruz (RO, PI, CE, MS, PR). Vão financiar também a implantação de biotérios para atender às demandas de ciência e tecnologia em saúde, o aumento da produção de medicamentos pelos laboratórios oficiais e o atendimento a 80% das necessidades do Programa Nacional de Imunizações, envolvendo o domínio do ciclo tecnológico das vacinas do PNI.

 

O Ceará faz parte do Programa Mais Saúde incluído no PAC com de investimento de R$ 25 milhões na unidade da Fiocruz a ser implantada em 11,4 hectares no Eusébio ao lado de 50 hectares para um Polo Tecnológico em Saúde com empresas privadas que desenvolvem produtos de inovação na área de biotecnologia. O workshop será aberto às 9 horas com a conferência do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha – O papel da Fiocruz na gestão do conhecimento e inovação em Saúde no Brasil -, coordenada pelo secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, René Barreira.

 

Às 10h30min, será a abordada a Gestão do Conhecimento e Inovação em Saúde – Experiência Canadense, em mesa coordenada por Hudson Pacífico, da Universidade de Montreal. Três temas serão discutidos: A relação entre o complexo produtivo da saúde e a avaliação da tecnologia em saúde no Canadá, por Pascale Lehoux; A política de gestão do conhecimento e inovação em saúde no Canadá, por Jean-Louis Denis – ambos da Universidade de Montreal – e Transferência e Comercialização de
Tecnologias Acadêmica para Inovação em Saúde, a cargo de Fiona Miller,
da Universidade de Toronto.

 

Às 14 horas vai ser tratado do painel Gestão do Conhecimento e Inovação em Saúde – Experiência Brasileira, com a coordenação de Luiz Eugênio Portela de Souza (UFBA). O tema Inovação em Saúde e Desenvolvimento será discutido por Ana Luisa Viana (USP); Leonor Pacheco, diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, fala de Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde do Brasil, e Gilvania de Melo, coordenadora de Gestão do Conhecimento do DECIT-MS discorre sobre Gestão do Conhecimento em Saúde no Brasil.

 

De acordo com Odorico Monteiro, depois da indústria bélica a segunda maior economia no mundo é a do complexo industrial da saúde. A pauta econômica será debatida na mesa O Complexo Produtivo de Saúde no Brasil, coordenada por Fernando Carvalho (Fiocruz), que falará sobre o Complexo Econômico-Industrial de Saúde Brasileiro, com o vice-presidente da Fiocruz, Carlos Gadelha. Em seguida vai ser discutido o Polo de Desenvolvimento de C&T da Saúde no Estado do Ceará por Carlile Lavor (Fiocruz), pelo secretário de Saúde, José Arruda Bastos e o empresário Augusto Reinaldo Pimentel Guimarães, da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece).

 

No dia 9 de novembro, às 9 horas, a apreciação dos Modelos de Institucionalização das Ações de Avaliação e Incorporação das Tecnologias de Saúde (ATS), com a coordenação de Moisés Goldbaum (Fiocruz), enfoca a Institucionalização da avaliação, com palestra de Jean-Louis Denis, da Universidade de Montreal; Pascale Lehoux, da Universidade de Montreal aborda o tema Modelo de Agência de ATS, e Vânia Canuto Santos – DECIT-MS a Situação atual e perspectiva da ATS no Brasil. Cláudio Maierovitch, diretor da Comissão de Incorporação de Tecnologias do Ministério da Saúde (CITEC), fala de Iniciativas recentes de articulação das ações de C&T com a inovação.

 

Está prevista para as 11h30min a Mesa Cooperação Brasil-Canadá, com relato da Experiência do Memorando de Entendimento entre Brasil e Canadá a cargo de Félix Rigoli (OPAS/Representação Brasil).  Mauro Oliveira, do Centec, fala do Lariisa – Uma plataforma inteligente de governança para a tomada de decisão em sistema de saúde, e Hudson Pacífico, da Universidade de Montreal, sobre o tema Organização do Livro Coletivo: Gestão do Conhecimento e Inovação em Saúde a Experiência do Brasil e Canadá.

 

Às 14h30min será realizada reunião da Comissão de C&T da Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), coordenada por Luiz Eugênio Portela de Souza (UFBA), seguida, às 14h30min, de Reunião da Rede Interdisciplinar de Pesquisa e Avaliação em Sistemas de Saúde (RIPASS), coordenada por Ivana Barreto (UFC).

 

05.11.2010

Assessoria de Imprensa do Centec

Flamínio Araripe (flaminio.a@gmail.com / 85 9615.1449)