Funceme: novos radares entram em operação neste ano

3 de janeiro de 2011

Já está em fase avançada de implantação o radar meteorológico Banda-S, da Rede Cearense de Radares, que ficará estrategicamente localizado na Serra de Santa Maria, em Quixeramobim e terá raio de alcance de 400Km, cobrindo toda a área do Estado e parte de estados vizinhos. A previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos (Funceme) é que na quadra chuvosa de 2011 (fevereiro a maio) o equipamento inicie sua operação em fase experimental.

 

 

Com investimentos de R$ 12 milhões por parte do Governo do Estado, o novo radar possui capacidade para estimar a precipitação dentro de um raio de 200Km e ainda fazer o monitoramento de sistemas meteorológicos que atuam em um alcance de até 400Km, ou seja, é uma importante ferramenta para aperfeiçoar o trabalho de previsão de chuva realizado pela Funceme.

 

 

Além do radar Banda-S, a Rede Cearense de Radares também é composta pelo radar Banda-X da Funceme, com raio de alcance de 120 Km e localizado na Capital Cearense. Este equipamento é usado em previsões de curtíssimo prazo para a Região Metropolitana de Fortaleza. Adquirido em 1992 e inativo desde de 2003, foi totalmente modernizado e colocado em operação no segundo semestre de 2010.

 

 

Benefícios

 

Quando entrar em operação, a Rede Cearense de Radares beneficiará diversos setores da sociedade. De forma específica, será mais útil às populações de áreas de risco, produtores rurais, agricultores e pescadores. Destacam-se como resultados a modernização das informações relativas ao tempo do Ceará e estados vizinhos, auxílio aos agricultores e produtores rurais com informações mais precisas, alerta aos órgãos da Defesa Civil sobre os eventos meteorológicos, controle de inundação nas áreas urbanas, monitoramento de áreas de risco e informações úteis às atividades de pesca.

 

 

Diferente de um satélite, o radar meteorológico é um sensor ativo, ou seja, ele não se limita a observar a atmosfera, mas emite microondas que atingem as gotas de chuva nas nuvens. Parte dessas ondas são refletidas para o equipamento e as informações são processadas e transformadas em intensidade de chuva. Todo este processo acontece muito rápido, podendo haver o monitoramento em tempo real das chuvas e permitindo obter a exata localização dos sistemas meteorológicos presentes no raio de alcance do radar.

 

 

03.01.2011

Assessoria de Comunicação da Funceme

Guto Castro Neto (85) 3101.1102 / 8814.4194