Sesa alerta sobre vacinação no Dia Mundial de Combate às Hepatites

27 de julho de 2011

As pessoas com até 24 anos devem se vacinar contra hepatite B. A conscientização é o foco do Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, em 28 de julho, instituído pela Organização Mundial de Saúde para reforçar a prevenção e o controle da doença. Este ano, a Secretaria da Saúde do Estado promoveu com os municípios a intensificação da vacinação durante as campanhas de imunização contra a influenza e a poliomielite, para realizar a primeira e segunda doses, e fará nova intensificação em outubro, para aplicação da terceira dose. Neste sábado (30), um posto de vacinação funcionará na sede da Sesa, na Avenida Almirante Barroso, 600 Praia de Iracema, para imunizar contra hepatite B pessoas na faixa etária até 24 anos e, contra sarampo, caxumba e rubéola, para menores de sete anos.

 

A Organização Mundial de Saúde estima que cerca de dois bilhões de pessoas já tiveram contato com o vírus da hepatite B. No mundo, são cerca de 325 milhões de portadores crônicos da hepatite B e 170 milhões da hepatite C. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que pelo menos 70% da população já teve contato com o vírus da hepatite A e 15% com o vírus da hepatite B. Os casos crônicos de hepatite B e C devem corresponder a cerca de 1,0% e 1,5% da população brasileira, respectivamente.

 

As hepatites B e C são doenças virais caracterizadas pela inflamação no fígado e causadas pelo vírus da hepatite B (VHB) e o vírus da hepatite C (VHC). Ambas ocorrem como infecções que podem ou não apresentar sintomas. Os vírus das hepatites B e C são transmitidos por via sexual, transfusão de sangue, hemodiálise, transmissão vertical (mãe-filho), seringas ou aparelhos perfurocortantes contaminados, como equipamentos odontológicos e materiais utilizados para tatuagem e piercing. Lâminas de barbear e de manicure e pedicure estão entre os materiais que necessitam ter seu uso individualizado.

 

O Ministério da Saúde publicou no dia 18 de julho portaria instituindo o novo protocolo de tratamento para a hepatite C. As novas regras preveem a ampliação do uso de interferon peguilado – mais confortável para o paciente que a apresentação convencional -, a dispensa de biópsia prévia para início do tratamento em alguns casos e a simplificação do processo para autorizar a prorrogação do tratamento.

 

Na prática, a medida permite mais agilidade para indicar o prolongamento de tratamento. O texto anterior, publicado em 2007, garantia a extensão do uso do interferon desde que houvesse aprovação do Comitê Estadual de Hepatites Virais. Agora, o médico que acompanha o paciente já pode prescrever a continuidade do tratamento, de acordo com os critérios estabelecidos no documento.

 

Em 2009, o Ceará notificou 933 casos de hepatites virais. Naquele ano foram vacinadas mais de dois milhões de pessoas na faixa etária entre zero e 19 anos e 979 mil deixaram de se vacinar. No SUS, o teste de hepatite é feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que realiza o exame do material coletado pelos municípios. Mas qualquer pessoa pode solicitar a realização do teste no Lacen. Em Fortaleza, o Lacen funciona na Avenida Barão de Studart, 2405, Aldeota.

 

Casos notificados da doença no Ceará

 

p { margin-bottom: 0.21cm; }td p { margin-bottom: 0cm; }

Casos notificados

2002

2003

2004

2005

2006

2008

2009

Hepatites virais
(todos os tipos)

1.115

511

670

1.437

1.178

1.410

933

Hepatite A

878

414

541

1.093

977

853

486

Hepatite B

127

80

88

335

148

146

187

Hepatite C

131

70

109

139

53

65

129

 27.07.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)