Cid Gomes destaca necessidade de parceria entre Colômbia e Brasil

4 de agosto de 2011

Estreitar relações e incentivar a interação entre os dois países sul-americanos. Foi com esse objetivo que o governador Cid Gomes participou nesta quinta-feira (4) do Primeiro Fórum de Investimentos Colômbia-Brasil, em Bogotá. O Fórum foi aberto pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos,  pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o pelo Presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno.

 

Durante sua exposição, o governador Cid Gomes destacou o potencial de agronegócio no Estado, ressaltando que o setor é primordial para o equilíbrio da balança comercial. “Em tempos de invasão de produtos industriais chineses. Em tempos de desvalorização de moedas tradicionais, que criam empecilhos às pautas de exportação. Em tempos em que as preocupações com o equilíbrio das balanças comerciais, que tem atormentado países todo o mundo, o agronegócio no Brasil tem
sido fator fundamental para a manutenção do equilíbrio entre nossas importações e exportações”, disse o Governador.

 

Dentro4

 

No início da apresentação, Cid lembrou os desafios comuns aos dois países. “Precisamos reduzir as desigualdades sociais e regionais; superar a incômodo da insegurança pública e da violência; universalizar e qualificar políticas públicas nas áreas da educação, saúde e trabalho. Além disso, fortalecer a economia ampliando as riquezas com distribuição de renda”, disse. Na avaliação dele, o papel do poder público na integração com os países vizinhos é de extrema importância. “Momento para que isso aconteça, não poderia haver melhor pela maturidade democrática dos nossos povos, pela estabilidade das moedas, pelos elevados índices de crescimento econômico. Há hoje também uma conjuntura externa que quase nos impõe um olhar para os nossos vizinhos”, avaliou.

 

Durante a palestra, o Governador destacou que Brasil e Colômbia são países quase desconhecidos porém muitos parecidos. “As nossas semelhanças devem facilitar e fortalecer as nossas relações, as atividades econômicas conduzidas pela iniciativa privada e a ação do poder público, que se articulam são fundamentais para cumprir a estratégia desejada por todos nós.”

 

Abertura do Fórum

 

dentro3A abertura do Fórum de Investimentos Brasil-Colômbia, que reuniu cerca de 500 empresários dos dois países, foi feita pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, que celebrou a realização do encontro e ressaltou a necessidade de parcerias com o Brasil. “Já que estamos passando por um momento de confiança e credibilidade, nós queremos aproveitar para fazer negócios cm outros países. Acho que há uma sinergia muito especial entre Brasil e Colômbia e isso pode gerar lucros importantes”, destacou.

 

Para o ex-Presidente Lula, um dos palestrantes do evento, “o que se fez, durante muito tempo, foi achar que os países da América Latina não poderiam ter relações comerciais porque estas atrapalhariam as relações com os Estados Unidos e a Europa. Hoje isso tem mudado e tem que continuar mudando. E tudo começa com uma reunião como essa”, complementou o ex-Presidente.

 

Para o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, as relações comerciais dos dois países são fundamentais, sobretudo, para diminuir a pobreza. “O Brasil conseguiu, nos últimos anos, reduzir consideravelmente a pobreza. Hoje a Colômbia tenta fazer o mesmo e, se continuar, pode se tornar a segunda maior economia da América Latina”, avaliou.

 

Relações econômicas de Brasil e Colômbia

O investimento direto brasileiro na Colômbia foi de US$ 775 milhões entre 2005 e 2010. O da Colômbia no Brasil, porém, foi menor ficando em US$ 605 milhões. Esse intercâmbio comercial é de cerca de US$ 3 bilhões anuais. Este número representa 0,7% do comércio total de ambos os países, segundo o BID, apesar do acordo alcançado entre o Mercosul e a Comunidade Andina.

 

04.08.2011

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br  / 85 3466.4898)