Governo do Estado assina compra do Cine Theatro São Luiz

24 de outubro de 2011

A criação do Centro Multiuso de Difusão da Cultura Luiz Severiano Ribeiro foi anunciado na tarde desta segunda-feira, durante a assinatura do contrato de compra do Cine São Luiz, que passa a fazer parte do patrimônio material do Governo do Estado do Ceará. O secretário da Cultura, Francisco Pinheiro, representando o governador Cid Gomes, e Luiz Henrique Severiano Ribeiro, representando a família proprietária do imóvel, assinaram o contrato de compra do imóvel no valor de R$ 2,2 milhões, tendo como testemunhas a superintende do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, Juçara Porto, e a secretária do Centro de Fortaleza, Luiza Perdigão.

Tombado pelo Governo do Estado do Ceará, por meio do Decreto de nº  21.309, de 13 de março de 1991, e sob a tutela da Secretaria da Cultura, na Coordenadoria de Patrimônio Histórico e Cultural COPAHC, o Cine São Luiz, destaca-se pela exuberância da arquitetura e por salvaguardar os elementos simbólicos de uma época de pioneirismo do audiovisual no Brasil e em especial, em Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro, onde a empresa teve uma forte atuação em décadas passadas.

Patrimônio histórico presente no coração da cidade, O Cine São Luiz, tem como  palco, a praça do Ferreira, um dos locais mais emblemáticos para os fortalezenses, o equipamento cultural cria elos e consegue dinamizar o espiral cultural juntamente com os equipamentos públicos culturais do centro da cidade, legitimando assim, o protagonismo local e a diversidade cultural do Estado.

Segundo o Secretário da Cultura, Francisco Pinheiro, o Cine Theatro São Luiz, uma vez reativado como equipamento público cultural, torna-se solo fértil de possibilidades (cinema, teatro, shows musicais, etc.) e favorece condições para a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, a desenvolver ações estratégicas de fomento à cultura  contribuindo no fortalecimento do projeto de revitalização do corredor cultural do centro de Fortaleza, valorizando  nossa identidade e convidando os cidadãos a se reapropriarem do espaço público em uma construção coletiva sustentável da cultura.

Características arquitetônicas do Cine São Luiz:

 

O Foyer:

 

O Foyer do cinema é o que acede à plateia da sala de projeções e ao balcão superior – Mezanino. Tem como revestimento dos pisos, superior e inferior, das suas escadarias e das paredes, mármore italiano de Carrara, branco no piso com separadores de bronze e jaspeado verde nas paredes. Os conjuntos de escadas simétricas estão protegidos com guarda-corpos executados em serralharia de ferro doce com robustos perfis, arrematados com passa-mão de bronze polido de secção circular.

Como arranque de cada varanda, uma coluna composta por oito tubos de diâmetro menor arrematado por coroamento e esfera, sendo todo o conjunto elaborado em bronze. O foyer fecha-se para a rua com cinco portas de grandes dimensões construídas com perfis metálicos e vidro criando uma razoável transparência com a praça. As portas têm detalhes que emolduram os painéis de vidro com elementos de bronze que hoje se encontram pintados.

A  iluminação no salão principal do foyer é feita com três grandes lustres pendentes elaborado com pingentes de cristal da Bohemia (Tchecos) e cinco menores de forma semi-esférica, também de pingentes manualmente lapidados e montados sobre uma estrutura de bronze fundido com decorações, iluminando o balcão superior do foyer.

O teto do foyer é em sua totalidade feito com placas de gesso plano fixo à estrutura de forma mecânica e tem cor natural branca. Um generoso roda-teto colorido lhe dá acabamento com a parede.

A sala de projeções:


A Sala de Projeções do Cine São Luiz tem toda sua composição decorativa com base em elementos geométricos Art-Déco com sua origem/influência nos Estados Unidos e com predominância no Art- Déco que se desenvolveu em Miami e áreas do Caribe.

O Art-Déco é o termo atual para definir o estilo formalizado na Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas, realizada em Paris em 1925. Surge na arquitetura como contraposição à excessiva sinuosidade do Art Nouveau, abandonando as complicadas formas deste estilo, adotando formas geométricas e lineares como uma de suas características. Normalmente recorre aos processos industriais na moldagem e barateamento de seus custos de produção permitindo ao uso de uma maior quantidade dos mesmos na construção.

No caso da sala de projeção do Cine São Luiz, todos os elementos têm função decorativa/cenográfica, de controle acústico e para encobrir a dutagem de ar-condicionado e instalações elétricas. Estão executados em gesso com elementos tridimensionais e fixados mecanicamente ao teto e paredes laterais e com acabamento de uma pintura com base em cores vibrantes próximas às cores secundárias que permitem sejam apreciadas mesmo com baixa iluminação ambiental.

A faixa de revestimento das paredes que está ao alcance da mão – lambri – está protegida com madeira laminada industrialmente e com acabamento de verniz. Entre a faixa de madeira e dos elementos de gesso há uma grega de madeira recortada forrada com tecido preto na parte posterior que encobre e protege o sistema de som original. O projeto acústico/decorativo foi desenvolvido e executado por Osório Pereira e Marcelino Guido Budini, e a pintura ficaram encarregados Shaffer e Harvath. Fazem parte da decoração da sala de projeção a boca de cena, o proscênio e mezanino.

Em 1995 o Cine São Luiz passa a ser o espaço de apresentação do Cine Ceará. É também o principal espaço de outros festivais de cinema que ocorrem em Fortaleza. A partir de 27 de Outubro de 2007 está arrendado à Fecomércio (Federação do Comércio do Estado do Ceará), como Cine São Luiz – Centro Cultural – Sesc – Luiz Severiano Ribeiro.

24.10.2011

Assessoria de Comunicação da Secult

Sonara Capaverde (85 3101.6761 – 8501.9882 – 8878.8805)