Hospital Regional do Cariri realizou mais 64,1 mil atendimentos e mais de mil cirurgias

28 de dezembro de 2011

A mudança do perfil do acesso à assistência à saúde que o Governo do Estado está promovendo no Ceará já apresenta números expressivos na região do Cariri. Em pouco mais de seis meses de funcionamento, o Hospital Regional do Cariri (HRC) contabilizou, até o dia 26 de dezembro deste ano, 15.363 atendimentos de emergência, 1.337 internações e 47.419 procedimentos de apoio diagnóstico e terapêutico. O HRC é o primeiro hospital público da rede de assistência da Secretaria da Saúde do Estado construído no Interior. Inaugurado em abril deste ano em Juazeiro do Norte, o HRC é um hospital de grande porte, com 284 leitos, e cobertura da população de 1,5 milhão de habitantes dos 44 municípios da macrorregião de saúde do Cariri e os municípios das microrregiões de saúde de Iguatu e Icó.

 

A primeira internação no HRC aconteceu no dia 20 de junho. Francisco Juscelino Sampaio, de 46 anos, foi o primeiro paciente internado, com diagnóstico de ascite, barriga d’água provocada por graves distúrbios hepáticos. Ele é morador de Abaiara, município do Cariri que fica a  46 quilômetros de Juazeiro do Norte. Até a última segunda-feira (26), o HRC realizou 619 internações na área de clínica médica, 141 de traumato-ortopedia, 501 internações cirúrgicas e 6 de UTI. Já no dia 27 de julho, quatro moradores de Juazeiro do Norte foram os primeiros pacientes a se submeter a cirurgias no HRC. Até o início de dezembro, o hospital havia realizado, até o dia 11, 1.085 cirurgias.

 

No dia 23 de agosto entrou em funcionamento no HRC a maior emergência pública do Interior do Ceará, com 51 leitos para tratar casos de alta complexidade de pacientes dos 44 municípios da macrorregião de saúde do Cariri. O atendimento na emergência obedece ao Protocolo Manchester de Classificação de Risco, com a triagem dos pacientes feita com base no nível de gravidade. Os que apresentam situação mais grave recebem no acolhimento da emergência uma pulseira vermelha e são atendidos de imediato. Pulseiras laranjas são colocadas no braço dos pacientes que terão atendimento em até 10 minutos. A cor amarela é adotada para os que podem receber assistência em até 60 minutos, a cor verde entre pacientes menos graves e serão atendidos em até 120 minutos e a cor azul em até 4 horas. Em quatro meses, 276 pacientes receberam pulseiras vermelhas, 4.806 pulseiras laranjas, 6.184 verdes e 559 azuis.

 

Do total de 47.419 procedimentos, o Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SAFT) realizou, desde o início do funcionamento do HRC, 34.483 exames laboratoriais, 6.538 exames de Raio X, 2.098 ultrassonografias e 1.720 tomografias computadorizadas. Antes do HRC, na rede pública, ressonância magnética era realizada apenas no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

 

28.12.2011

 

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá – (85) 3101-5220 / 5221

selma.oliveira@saude.ce.gov.br