Conpam trabalha para dobrar as Unidades de Conservação no Ceará

12 de Janeiro de 2012

A meta é ousada: duplicar a área protegida das unidades de conservação no Ceará, até 2014.  Esse é o desafio apresentado à equipe que faz o Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente-Conpam, pelo presidente Paulo Henrique Lustosa, em sua avaliação de final de ano, atendendo determinação do governador Cid Gomes. A ideia é que “as novas unidades se concentrem no sertão”.

 

Entre parques, monumentos e APAS, o Estado tem 23 UCs que cobrem 2% do território e quase todas estão fora do sistema de vegetação que predomina em 90% do Estado. Agora, a atenção se volta para a proteção da caatinga, que segundo estudos do Ministério do Meio Ambiente é o bioma que mais perde cobertura verde no país e exige “especial atenção”, defende Paulo Henrique, que relembra  o encontro sobre o tema  já marcado para os dias 13 a 16 de março próximos.

 

Para o Presidente, em 2012, as políticas públicas do setor podem dar um salto, tendo em vista que em 2011 o Conselho fez muita coisa no sentido de se reestruturar e fortalecer também o sistema que é formado pela Semace- Superintendência Estadual do Meio Ambiental  e Coema- Conselho Estadual do Meio Ambiente. Só para ter noção, Paulo Henrique explica que apenas o quadro de gestores aumentou em 30%.

 

O secretário executivo do Conpam, Iraguassu Teixeira Filho, acrescenta que o Conselho conseguiu a execução de 99% dos investimentos autorizados pelo Governador  para o ano que passou, destacando a vitória que foi conseguir aprovar a Lei Estadual de Educação Ambiental e iniciar o trabalho regionalizado para ajudar aos municípios a elaborarem, neste ano, o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos que deve ficar ponto, dentro da Lei, até agosto próximo.

 

A promulgação da lei do Sistema Estadual de Unidade de Conservação (SEUC) é outro ponto destacado por Iraguassu, além das “ações realizadas pelo Ceará voltadas para a Rio+20, com a presença de nosso Presidente como um dos dois representantes da Abema no Comitê Nacional de Organização da Conferência Internacional, bem como a contribuição decisiva para a realização da Conferência Regional de Desenvolvimento Sustentável do bioma Caatinga, a ser realizada em março de 2012.

 

“A busca agora é para findar este ano que se inicia com todos os projetos em andamento hoje sem prejuízo algum das atividades de educação, fiscalização e controle ambiental”, reforça Paulo Henrique. Em parceria com a Federação da Indústrias do Estado Ceará  o Conpam pretende encontrar o equilíbrio ambiental na eficiência energética do polo ceramista estadual. Em conjunto com o Ministério da Pesca, quer monitorar a qualidade ambiental dos açudes ou outros reservatórios onde se utilizem das águas para criação de peixe em cativeiro, a fim de que a população tenha certeza que aqueles reservatórios não ficarão com a qualidade comprometida.

 

Outro ponto importante é a ampliação do projeto Mata Branca que é desenvolvido com recursos do Banco Mundial e que atende aos Inhamuns, área susceptível à desertificação – ASD. A meta agora é ampliar o alcance do projeto Mata Branca para áreas em processo de desertificação no Médio Jaguaribe e Sertão Central. Além disso, tem o projeto dos Parques na Copa, que prevê  a inclusão de nove unidades para o turista  que venha assistir aos jogos também tenha alternativas de conhecer a nossa diversidade ambiental, sendo duas do Governo Federal (Jericoacoara e Ubajara), uma da prefeitura de Fortaleza (Sabiaguaba) e seis unidades do Governo do Estado (Falésias, Monólitos, Parques do Cocó e Botânico, Pedra da Risca do Meio e Sítio Fundão).

 

12.01.2012

Assessoria de Comunicação do Conpam

Elizabeth Rebouças (elizabeth.reboucas@gmail.com / 85 3101.1235 – 8848.2022)