Empresa cearense desenvolve tecnologia para aproveitamento das vísceras de tilápia

13 de Abril de 2012

O Ceará é o maior produtor nacional de tilápia, peixe de água doce cuja carne é bastante apreciada por ser leve e saborosa. Na região do Castanhão, a produção do pescado é significativa, mas o destino dado aos resíduos do beneficiamento do peixe se configurava em um problema para os produtores locais. Pensando em alternativas de aproveitamento desse resíduo material, a empresa cearense PISCIS desenvolveu uma tecnologia de aproveitamento das vísceras de tilápia para produção de um óleo rico em Ômega 6, que é utilizado na produção de rações balanceadas para aves e suínos.

 

Segundo o diretor de negócios, André Siqueira, a região do alto e médio Jaguaribe concentra cerca de 70% dos recursos hídricos do Ceará, e o município de Jaguaribara, onde fica a sede da PISCIS, está próximo aos reservatórios do Castanhão, Orós e Banabuiu. Atualmente, a empresa coleta cerca de 25 toneladas por mês de vísceras junto aos produtores de tilápia do Açude Castanhão, produzindo aproximadamente 10 toneladas por mês de Óleo de Vísceras de Tilápia, seu principal produto.

 

De acordo com André, antes da atuação da PISCIS, os piscicultores não tinham destino adequado para as vísceras e a PISCIS implantou quiosques para coleta, sistema de transporte e processamento, beneficiando diretamente o meio ambiente e remunerando os piscicultores pelo fornecimento, gerando negócio onde antes não existia”, explica o empresário.

 

O mercado consumidor do óleo de tilápia da PISCIS é constituído por fábricas de rações balanceadas e granjas produtoras de aves e suínos localizadas na região metropolitana de Fortaleza. O diretor de negócios da empresa esclarece que o produto é utilizado em rações como fonte de energia na composição das dietas e que o diferencial está na presença de Ômega 6 na sua composição, importante elemento para alimentação de aves e suínos.

 

André ressalta o apoio que a PISCIS vem recebendo de várias instituições de financiamento e fomento, entre elas a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), através do programa Prime, a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), com o Fundo de Inovação Tecnológica (FIT), o Instituto CENTEC (consultoria), o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), através do Programa de Bolsas.

 

A empresa é apoiada pela Funcap com o projeto “Aproveitamento integral dos resíduos do beneficiamento da tilápia: óleo animal, concentrado protéico e/ou composto orgânico”, aprovado no edital Fundo de Inovação Tecnológica FIT 08/2009. Em 2011, a PISCIS foi contemplada no edital Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas – PAPPE Integração – Nº 10/2011 – 2ª chamada, com o
projeto “Desenvolvimento de sistema adequado para coleta e transporte de vísceras de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus)”, que atualmente está em fase de contratação.

 

A PISCIS é nacionalmente reconhecida pelo seu trabalho inovador. No ano passado, a empresa recebeu o Prêmio Nacional de Inovação, concedido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), na categoria de Desenvolvimento Sustentável – Pequenas e Médias Empresas. Também em 2011, a PISIS foi apresentada como case de destaque durante a XI Conferência da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (ANPEI), realizada em Fortaleza.

 

Outras informações podem ser obtidas no site www.piscis.ind.br ou pelo e-mail: piscis.ce@hotmail.com.

 

13.04.2012

Assessoria de Comunicação da Funcap

Giselle Soares (giselle.soares@funcap.ce.gov.br / 85 3275.9629)

Twitter: @FuncapCE