Fiocruz apresenta projeto da fábrica de vacinas no Ceará

13 de setembro de 2012

O projeto da fábrica de vacinas Bio-Manguinhos no Ceará será apresentado nesta sexta-feira (14), pelo diretor do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/ Fiocruz), Artur Roberto Couto, em reunião do Comitê Gestor do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS). A reunião será realizada no auditório Waldir Arcoverde, da Secretaria da Saúde do Estado, Avenida Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema, às 9 horas. Será o segundo projeto do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde apresentado ao Comitê Gestor. O primeiro foi o da unidade da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), que prevê um prédio de gestão e ensino com 13 mil metros quadrados de área e 23 salas de aula com capacidade para 560 alunos, um prédio de pesquisa, de 15 mil metros quadrados de área, com 15 laboratórios, dois deles de nível de biossegurança 3, um prédio de infraestrutura, auditório para 300 lugares, anfiteatro e praça. As construções ocuparão 30 mil m2 de uma área total urbanizada de 40 mil m2.

Fiocruz_DestaquerO Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) é a unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) responsável pelo desenvolvimento tecnológico e pela produção de vacinas, reativos e biofármacos voltados para atender prioritariamente às demandas da saúde pública nacional, garantindo autossuficiência em vacinas essenciais para o calendário básico de imunização do Ministério da Saúde. O número de vacinas entregue para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde aumenta anualmente. Em 2011, foram mais de 144,5 milhões de doses de vacinas entregues ao programa, mais de 6 milhões de reações para kits de diagnóstico e 9,6 milhões de frascos de biofármacos. Os produtos de Bio-Manguinhos garantem à população brasileira acesso gratuito a imunobiológicos de alta tecnologia e permitem a redução dos gastos do Ministério da Saúde.

A instalação da fábrica de vacinas Bio-Manguinhos no Ceará foi confirmada em abril deste ano. A primeira fábrica de vacinas da Fiocruz fora do Rio de Janeiro tem no orçamento deste ano R$ 20 milhões para o Polo Industrial da Saúde e mais R$ 150 milhões autorizados para o triênio 2013, 2014 e 2015 – R$ 50 milhões por ano – destinados ao empreendimento. O projeto de implantação do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS) tem como objetivo principal desenvolver o setor farmoquímico do Ceará, promover a integração entre academia e indústria e fomentar a sinergia entre as indústrias que formam o polo.

O projeto do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS) consiste na implantação de um Polo Tecnológico da Saúde, no bairro da Precabura, município de Eusébio. A propriedade na qual será implantado o empreendimento tem uma área total de 55 hectares. O local já foi desapropriado pelo Estado, conforme o decreto nº 29.803, de 15 de julho de 2009. São três empresas âncoras: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), CTI Renato Archer (vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia) e Isofarma. A área institucional tem cerca de 25 hectares e as áreas restantes serão ocupadas por novos empreendimentos.

 

13.09.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara