Cid Gomes decreta luto oficial pelo falecimento do jornalista Lustosa da Costa

4 de outubro de 2012

O governador Cid Gomes decretou nesta quinta-feira (4) luto oficial de três dias em decorrência do falecimento, na noite de quarta-feira (3) em Brasília,  do jornalista e escritor Lustosa da Costa. “É com profundo sentimento de perda que recebo a notícia da morte de  Lustosa da Costa. O Ceará perde um escritor e jornalista de primeira  grandeza; Sobral vê partir um eterno enamorado da terra natal e um fiel guardião de sua memória; os amigos – incontáveis – perdem a mais  completa tradução da amizade sincera, descompromissada e  enriquecedora. Representante maior da inteligência sobralense, Lustosa  conquistou respeito pela retidão de seu trabalho jornalístico e  admiração pela riqueza da obra literária. Ponderado e corajoso a um só  tempo, defendia com uma riqueza de argumentos suas opções políticas e  ideológicas. Afável, cavalheiresco, passeava sua simplicidade pelas  calçadas de Sobral e de Fortaleza, fazendo e cultivando amizades. Os cearenses, hoje enlutados, saberão guardar com muito carinho sua memória”, Cid Ferrira Gomes.

 

Lustosa da Costa

 

Jornalista, escritor, poeta e, acima de tudo, sobralense. Mesmo tendo nascido em Cajazeiras, na Paraíba, era assim que Francisco José Lustosa da Costa se definia. Dos 28 livros publicados por ele, sete têm o município da zona Norte como tema. Ele foi o único dos 11 filhos de Francisco Ferreira Costa e Maria Dolores Lustosa da Costa a não nascer em Sobral.  O corpo de Lustosa da Costa será cremado em Brasília e as cinzas serão trazidas para Sobral. O velório será na Casa do Ceará,.
Lustosa da Costa foi colunista do Diário do Nordeste desde a inauguração da Sucursal em Brasília, em 1985. Leitor compulsivo, ele deu início aos seus estudos no Ginásio Sobralense. Mais tarde cursou a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. Jornalista profissional, foi editor – chefe do “Unitário” e do “Correio do Ceará”, em Fortaleza, e repórter político da sucursal de “O Estado de S.Paulo” e do “Jornal da Tarde”, em Brasília, durante 14 anos.

 

No magistério, mais uma de suas paixões, Lustosa da Costa destacou-se como professor de Sociologia do Centro Educacional do Ceará, hoje Instituto de Educação do Ceará, entre 1964 e 1966. Também foi professor de Sociologia do II Curso Livre de Jornalismo, realizado pela Universidade Federal do Ceará, pela Associação Cearense de Imprensa e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Ceará, em maio de 1965. Em 1966, foi o deputado federal pelo MDB do Ceará mais votado em Fortaleza. Na abertura de sua última coluna publicada no Diário do Nordeste, Lustosa afirmou mais uma vez sua paixão por Sobral.

 

04.10.2012

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado com informações do Diário do Nordeste

Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)