Em 48 horas UPA do José Walter fez 565 atendimentos

17 de junho de 2013

O grande movimento de pacientes na sala de triagem, nos consultórios e nas salas de observação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas) do José Walter na manhã desta segunda-feira (17) deixa clara a necessidade que a população tinha de uma unidade de atendimento de urgência e emergência naquela área da capital. Até às 12 horas desta segunda, a UPA já realizou 565 atendimentos. Nas salas de observação pediátrica da Unidade, que foi inaugurada no último sábado (15), as mães de  Douglas, 2 anos, Ana Graciele, 3, e Miguel Ângelo, 6, foram unânimes em falar da qualidade do atendimento. “O atendimento está sendo ótimo tanto pelos médicos e enfermeiras como pela higiene que a gente vê aqui”, disse a mãe de Miguel Ângelo, Luiza de Sousa, moradora do Mondubim, bairro próximo ao José Walter. Ela levou o filho para a UPA porque de uma hora para outra apareceram manchas vermelhas na pele. Lá, fez exame de sangue para confirmar a suspeita de alergia e logo em seguida tomou soro com a medicação. Já Douglas e Ana Glaciele, acompanhados das mães Ana Maria de Souza e Tereza Silva, estavam com febre alta e também tomaram soro com medicação.

 

Nas salas de observação de adultos também muito movimento de pacientes e profissionais de saúde. Todos já haviam passados pela triagem e consultados pelos médicos e estavam aguardando que a medicação terminasse para serem liberados. A dona de casa Francineide Alves Guimarães estava com  a pressão arterial elevada e com a diabetes descompensada. Seguiu orientação dos filhos que disseram para ela atravessar a rua e ir até a UPA. “Moro a poucos metros daqui. Antes quando a minha pressão subia tinha que ir para o Hospital de Messejana. Agora tenho atendimento muito bom vizinho a minha casa”, comentou. Casos de pressão alta e diabetes descompensada, como o da dona de casa Francineide Alves Guimarães, são tratados nas UPAs. Elas são construídas  para essas situações e outros casos de urgência e emergência, como crises de convulsão, quedas, cortes. Desafogam os hospitais, contribuindo para melhorar o atendimento à população.

 

Em Fortaleza, já são cinco UPAs 24 funcionando. A primeira fica na Praia do Futuro, inaugurada no dia 22 de março do ano passado e desde então funcionando sem parar, dia e noite até nos finais de semana e feriados. Em seguida foi aberta a do Autran Nunes, no dia 19 de abril de 2012. A terceira foi inaugurada e entrou em funcionamento no dia 10 de maio em Messejana. No Canindezinho, fica a quarta UPA, que assim como as outras iniciou o atendimento na mesma noite em que inaugurada, em 27 de junho de 2012. Juntas, as quatro primeiras UPAs fizeram 633.930 atendimentos. Foram construídas pelo governo do Estado, com apoio do Ministério da Saúde. Na UPA do José Walter os recursos foram somente do governo do Estado, que investiu R$5.083.676,40 nas instalações e na aquisição dos equipamentos.

 

Conjunto Ceará

 

No final do próximo mês de julho será inaugurada a UPA 24 no Conjunto Ceará. Foi o que anunciou o governador do Estado, Cid Gomes, no sábado durante a inauguração no José Walter. O prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio, que participou da inauguração, também anunciou que em julho inicia a instalação de três UPAs nos bairros Itapery, Vilha Velha e Jangurussu. Ainda segundo o prefeito, Fortaleza terá outras três UPAs a serem iniciadas nos últimos meses do segundo semestre. No total, serão 12 UPAs 24 horas na capital.

 

Nas UPAs 24 horas o atendimento é feito a partir da classificação de risco. O tempo varia conforme a gravidade dos casos. É na sala de triagem que os pacientes recebem orientações sobre a classificação de risco. Dependendo da gravidade recebem pulseiras de cores diferentes (ver painel abaixo).

 

17.06.2013

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara