Ocupação cresce na RMF Desemprego se mantém estável

26 de junho de 2013

As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego na região metropolitana de Fortaleza (PED-RMF), para maio de 2013, mostram a estabilidade do desemprego total, que passou de 8,8%, em abril, para os atuais 8,6% da População Economicamente Ativa (PEA), a menor taxa para o mês de maio desde 2009. O contingente de desempregados foi estimado em 155 mil pessoas, 2 mil a menos do que no mês anterior.

 

A pesquisa indica ainda uma elevação do nível de ocupacional em 1,3%, após quatro meses de queda, e o contingente de ocupados estimado em 1.646 mil pessoas. Houve acréscimo do número de ocupados nos serviços (15 mil postos de trabalho) e na indústria de transformação (9 mil), reduziu-se no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (-2 mil) e não variou na construção.

 

“Os primeiros meses do ano, são períodos que tradicionalmente registram reduções no número de trabalhadores, entretanto, em maio, já percebemos que o mercado de trabalho da RMF demonstra sinas de mudança, com a ampliação da ocupação e estabilidade do desemprego. Estamos positivos com esta reação, embora saibamos que o volume de empregos está crescendo em menor velocidade,“ destaca o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), De Assis Diniz.

 

O tempo médio de procura por trabalho despendido pelos desempregados foi de 27 semanas, uma a mais do que no mês anterior.

 

Segundo a posição na ocupação, houve elevação no número de assalariados (14 mil) devido à geração de empregos tanto na iniciativa privada (9 mil) quanto no setor público (5 mil). No setor privado, houve expansão do contingente de empregados com carteira assinada (15 mil) e redução dos sem carteira (-6 mil). Houve também retração do número de empregados domésticos (-1 mil), enquanto aumentou o de trabalhadores autônomos (7 mil) e daqueles classificados nas demais posições (1 mil).

 

Em abril de 2013, o rendimento médio real dos ocupados cresceu (2,3%), assim como o dos assalariados (2,1%). Seus valores monetários passaram a equivaler a R$ 1.055 e R$ 1.117, respectivamente. Registrou-se também elevação do rendimento médio real dos autônomos (4,2%), que passou a equivaler a R$ 793.

 

26.06.2013

Assessoria de Comunicação do IDT

Ana Clara Braga (anaclara@idt.org.br / 85 3101.5500)