Indústria de transformação do Ceará tem crescimento de 7,36% na folha de pagamento

20 de agosto de 2013

A taxa de crescimento acumulado na folha de pagamento real na indústria de transformação cearense, seguindo trajetória semelhante a da nacional, cresceu 7,36% em 2012, o que aponta um ganho de ritmo frente ao resultado de 2011, de 2,03%, superando, inclusive, a marca registrada no país, de 4,06% no ano passado e de 4,08% em 2011. O resultado obtido pelo Ceará, em 2012, supera as taxas regionais naquele ano: Nordeste, com 5,04%; Sudeste (2,9%); Sul (6,33%) e Norte e Centro Oeste com 6,31%.

 

Os números fazem parte do Ipece/Informe nº 63 – Agosto de 2013 – que tem como título “Comportamento dos Empregos e Salários na Indústria de Transformação Cearense nos Anos Recentes”. O trabalho, que acaba de ser disponibilizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado, foi coordenado por Odorico de Morares Eloy da Costa, tendo como colaboradores Witalo de Lima Paiva e Alexsandre Lira Cavalcante, todos economistas, e pode ser acessado na página www.ipece.ce.gov.br.

 

De acordo com o diretor Geral do Ipece, Flávio Ataliba, o novo Informe mostra a dinâmica do mercado de trabalho na indústria, em especial o comportamento do estoque de trabalhadores e da remuneração paga. Essas informações – observa – fornecem subsídios para que se possa entender como a produtividade da mão-de-obra na manufatura tem evoluído e como evolução se comporta diante dos salários pagos. O trabalho tem como sabe dados da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salários (PIMES) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

20.08.2013

 

Assessoria de Comunicação do Ipece
www.ipece.ce.gov.br – (85) 3101.3515
Ceará em Mapas Interativos: http://mapas.ipece.ce.gov.br
twitter: http://twitter.com/ipece