Pefoce utiliza tecnologia pioneira para armazenamento e codificação de DNAs

4 de novembro de 2014

A Perícia Forense do Ceará (Pefoce), órgão vinculado à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), inicia utilização de tecnologia da perícia americana para catalogação e identificação de DNAs, com a abertura de um banco de dados de material genético no Estado. Considerada um dos mais modernos do Brasil por utilizar equipamento de última geração, a Pefoce é a pioneira no Norte/Nordeste a cumprir a lei federal nº 12.654/12 que, dentre outras coisas, determina a coleta de material biológico de condenados por crimes violentos e hediondos para inserção em banco de dados.

 

O banco de dados é codificado com a tecnologia intitulada de Codis (Combined DNA Index System) que, em tradução livre, significa “Sistema de Indexação Combinada de DNA”, a mesma tecnologia utilizada pela Federal Bureau of Investigation (FBI) dos Estados Unidos e outros 20 países. A tecnologia facilita a catalogação e indexação do material genético de condenados por crimes violentos e hediondos, de forma que os dados possam ser, posteriormente, requeridos por autoridades da segurança pública,o por meio de autorização do juiz competente por cada caso.

 

Segundo a supervisora do Núcleo de Perícia em DNA Forense, Teresa Cristina Lima Rocha, o banco de perfis genéticos é de fundamental importância para a busca e comparações dos vestígios encontrados em palcos de crimes com as amostras já cadastradas, bem como identificação de restos mortais ou de pessoas desaparecidas. “Esse procedimento não serve apenas para condenar um criminoso, mas também para inocentar um cidadão acusado injustamente. A elucidação dos casos com esse processo chega a até 99,9%”, reforça a supervisora que é a administradora da tecnologia em todo Estado.

 

 

04.11.14

Assessoria de Imprensa da SSPDS
Kélia Jácome (kelia.jacome@sspds.ce.gov.br / 85 3101.6518)