Ceará supera média nacional no número de empregos formais entre 2002 e 2013

11 de novembro de 2014

A participação cearense no total de empregos formais, que era de 2,77% em 2002, o equivalente a 793.312, passou para 3,06% em 2013, ou seja, 1.495.923, significando variação de 88,57% (702.611), resultado acima da média nacional, que ficou em 70,75%. Já na comparação com a região Nordeste, o Ceará, que participava com 16,33% em 2002, passou para 16,76% do total de vínculos formais em 2013, mantendo sua posição no ranking no terceiro lugar, dentro da região.

 

Os números estão no IPECE/Informe (nº80 – novembro de 2014) – Uma Análise da Dinâmica Recente dos Empregos Formais no Ceará -, que acaba de ser divulgado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Estado do Ceará (IPECE), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado. Elaborado por Alexsandre Lira Cavalcante e Daniel Suliano, ambos Analistas de Políticas Públicas do Instituto, o documento revela os dez estados que mais geraram novos postos de emprego formal no período em números absolutos foram: São Paulo (mais 5.416.292); Minas Gerais (2.010.718); Rio de janeiro (1.664.327); Paraná (1.308.753); Rio Grande do Sul (1.055.575); Bahia (1.005.190); Santa Catarina (975.315); Pernambuco (814.587); Goiás (727.952) e Ceará, com 702.611.

 

De acordo com o estudo, 20 vinte Estados registraram aumento de participação no estoque de empregos formais, com os maiores ganhos sendo observados no Pará (+0,4 p ponto percentual); Goiás (0,36 p.p); Maranhão (0,32 p.p); Pernambuco (0,30 p.p); Amazonas (0,30 p.p); Mato Grosso (0,30 p.p) e Ceará (0,29 p.p). E do outro lado, São Paulo (1,36 p.p); Rio de Janeiro (0,82 p.p); Rio Grande do Sul (0,77 p.p); Minas Gerais (0,29 p.p); Distrito Federal (0,18 p.p); Alagoas (0,05 p.p) e Sergipe (0,01 p.p) registraram perda de participação no total de empregos formais nacionais entre os anos de 2002 e 2013.

 

A Região Metropolitana de Fortaleza, que concentrava 68,37% dos empregos formais em 2002, reduziu levemente essa participação para 68,14%. Dos 184 municípios cearenses, cinco concentraram 66,6% do estoque de empregos formais no ano de 2013: Fortaleza (53,89%), Maracanaú (3,88%), Sobral (3,38%), Eusébio (3,06%) e Juazeiro do Norte (2,4%).

 

Na análise setorial, o trabalho mostra ainda a elevada participação dos setores de serviços e comércio, atividades essas em grande parte formada por pessoas de baixa qualificação, o que tem refletido em boa parte a baixa remuneração paga nesses setores. O Ipece/Informe pode ser acessado, na íntegra, no www.ipece.ce.gov.br.

 

11.11.2014

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (paduaqmartins@gmail.com / 85 3101.3508)