Passa de 1 milhão número de atendimentos nas policlínicas regionais

14 de novembro de 2014

As policlínicas regionais em funcionamento, construídas no governo Cid Gomes,  em 19 regiões de saúde do Estado realizaram 93% dos atendimentos agendados até setembro deste ano e atingiram o total de 1.051.670 atendimentos, desde a inauguração da primeira unidade, em setembro de 2010, em Tauá. Com  atendimento em até 16 especialidades médicas, as 19 policlínicas regionais ampliam o acesso a  consultas e exames especializados para a população de 5,3 milhões de habitantes de 166 municípios e funcionam em Caucaia, Baturité, Itapipoca, Aracati, Quixadá, Russas, Limoeiro do Norte, Sobral, Acaraú, Tianguá, Tauá, Crateús, Camocim, Icó, Iguatu, Brejo Santo, Campos Sales, Juazeiro do Norte e Pacajus. Mais três policlínicas regionais estão sendo construídas, em Canindé, Maracanaú e Crato.

 

A capacidade de atendimento das policlínicas regionais ainda é superior à produção realizada. É o que se verifica, por exemplo, na Policlínica Dr. Clóvis Amora Vasconcelos, em Baturité, que ofertou 23.572 exames de mamografia a partir de 2011, agendou 11.945 e realizou, efetivamente, 10.450 exames, 44% da oferta. Em Sobral, a Policlínica Bernardo Félix da Silva, que dá cobertura a 24 municípios, ofertou a partir do ano passado 14.937 tomografias computadorizadas, agendou 11.466 e realizou 10.466. Em todas as 19 policlínicas regionais, a oferta de consultas e exames especializados foi de 1.817.011 atendimentos até setembro deste ano.

 

O consórcio regional de saúde é o modelo de gestão adotado pelo Governo do Estado para as policlínicas regionais e os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), tomando por base os municípios localizados numa mesma região de saúde para garantir a estruturação de redes de assistência e ampliar e facilitar o acesso da população aos serviços de saúde na própria região. O Governo do Estado participa dos consórcios nas regiões de saúde com, no mínimo, 40% do custeio de cada policlínica. Os 60% restantes são rateados entre os municípios. Para 2014, o custeio previsto das 11 policlínicas tipo I soma R$ 6.543.935,49 (R$ 545.327,96 mensais), com rateio de R$ 2.617.574,20 para o Governo do Estado e de R$ 3.926.361,29 para os municípios consorciados. Para as oito policlínicas tipo II, o custeio previsto é de R$ 7.549.955,92, com R$ 3.019.982,37 de responsabilidade do Governo e R$ 4.529.973,55 dos municípios.

 

As policlínicas regionais são implantadas Pelo governo do Estado com infraestrutura adequada para atender as principais especialidades médicas de interesse epidemiológico no Ceará e com serviços de suporte ao diagnóstico e reabilitação dos pacientes atendidos. As policlínicas do tipo I oferecem consultas especializadas em oftalmologia, otorrinolaringologia, clínica geral, cardiologia, ginecologia, mastologia, cirurgia geral, gastroenterologia, urologia, traumato-ortopedia, com apoio técnico de enfermagem, farmácia clínica, terapia ocupacional, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição e psicologia. Os serviços de apoio diagnóstico e terapêutico são radiologia convencional, mamografia, ultrassonografia, endoscopia digestiva, ecocardiografia, ergometria, eletrocardiograma, audiometria e coleta de patologia clínica. Nas policlínicas regionais em Pacajus e Baturité  também são realizados exames de tomografia computadorizada.

 

As policlínicas do tipo II, instaladas nas regiões de saúde de maior densidade populacional, oferecem, ainda, consultas especializadas em endocrinologia, angiologia e neurologia, bem como os serviços de tomografia computadorizada, eletroencefalograma e endoscopia respiratória. Algumas policlínicas incorporaram especialidades médicas não previstas originalmente, como reumatologia, cirurgia vascular e dermatologia.

 

14.11.2014

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara