#EducaçãoNotaDezNoCeará: Centec ajudando a construir um Ceará de conhecimento

1 de setembro de 2015

“Foi o Centec que me ajudou a chegar até aqui”, garante o estudante Jefte Arnon, de 24 anos. Hoje ele faz parte do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Universidade Federal do Ceará, mas antes foi aluno do curso de Tecnologia em Agronegócio da Faculdade de Tecnologia do Centec (Fatec) localizada no município de Quixeramobim, no Sertão Central cearense.

 

Para o estudante, a sua passagem pelo Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) foi essencial para que pudesse conseguir sua aprovação no mestrado. “Minha passagem pela Fatec foi uma experiência muito produtiva. Tudo que eu aprendi no Centec, eu consegui aplicar na prova de seleção”, diz Jefte, que tem Forragem e Pastagem como linha de pesquisa.

 

A história de Jefte serve para ilustrar o sucesso alcançado pelos alunos das diferentes unidades operacionais do Centec distribuídas em todo o Ceará, mas não é a única. Com 44 unidades divididas entre 43 municípios de todas as regiões cearenses, o Instituto coleciona casos como esse.

 

O Instituto Centec é uma organização social que tem como principal objetivo fomentar a educação e a tecnologia no Ceará, por meio do ensino, da pesquisa, da inovação e da extensão. Trabalhando em parceria com a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) do Governo do Estado, o Centec oferece capacitações e formação em diferentes níveis de educação.

 

Além dos cursos superiores de tecnologia e técnicos das Faculdades de Tecnologia no Sertão Central e no Cariri, também são promovidos cursos de nível médio nos Centros Vocacionais Técnicos (CVTEC) localizados nas cidades de Barbalha, Crato e São Gonçalo do Amarante, além de cursos básicos de Formação Inicial e Continuada nos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT) em 38 cidades cearenses.

 

Foi no curso de Fruticultura promovido pelo CVTEC da cidade de Barbalha, na região do Cariri, que a ex-aluna Lindicássia Mendes afirma ter adquirido o conhecimento necessário para exercer a profissão de agente rural na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), onde esteve até janeiro deste ano, desenvolvendo trabalhos voltados aos agricultores e às agricultoras familiares.

 

RLindicássia MendesHoje, Lindicássia é educadora de qualificação profissional do programa Projovem Campo – Saberes da Terra, também em Barbalha, e repassa a jovens e adultos tudo o que aprendeu, por meio de aulas práticas e teóricas voltadas à educação do campo. “Eu me sinto muito grata ao Centec, por ter feito de mim uma verdadeira técnica na área agrícola e agropecuária”, diz a egressa.

 

Além de Lindicássia, outros 459.662 alunos já passaram pelas unidades do Centec desde a sua fundação em 1997 até o final de 2014, nos três níveis de ensino que o Instituto oferece. Apenas no biênio 2013-14, foram graduados 231 alunos nos cursos superiores de tecnologia das Fatecs e 804 egressos tiveram nível técnico garantido. Já nos CVTs, 32.303 pessoas foram capacitadas no mesmo período.

 

 

Eu vou… mas volto

 

Mesmo quem já carrega experiência de trabalho na bagagem procura formalizar seus conhecimentos no Centec. É o caso de Naíra Cruz, de 45 anos, apaixonada por culinária mesmo antes de ingressar no curso técnico de Cozinha do CVTEC Crato em 2007. “Eu já sabia cozinhar, já trabalhava com panificação e produção de bolos, mas precisava aprender detalhes técnicos e me aperfeiçoar”, comenta.

 

Seu amor pela área gastronômica somada à motivação dada pelo curso do CVTEC fez com que Naíra procurasse ainda outra formação no Centec. Foi em 2010 que veio sua aprovação no vestibular do curso de Tecnologia em Alimento da Fatec Cariri. “Quis buscar ainda mais conhecimento sobre alimentos e sobre gastronomia”, ela justifica.

 

Hoje tecnóloga em Alimentos, Naíra se dedica à produção de bolos e à confeitaria fina, trabalhando em sua própria casa. Mas sua mais recente vitória foi ter sido aprovada, em 2014, na seleção de professores do mesmo CVTEC Crato que lhe trouxe o primeiro contato com o Centec.

 

A história de uma ex-aluna que decide abraçar de vez o Centec ao voltar como professora, porém, não é exclusiva de Naíra e se repete ainda em outras unidades instituição. Isana Brito, 37 anos, hoje é coordenadora do mesmo curso de Tecnologia em Alimentos pelo qual Naíra passou, mas antes ela foi aluna e bolsista da Fatec Cariri.

 

RIsana BritoA professora Isana ingressou no curso de Alimentos quando este ainda estava em seu primeiro ano. Decidiu que era a escolha certa a fazer após pesquisar sobre as oportunidades que teria no mercado de trabalho. E agora ela não hesita em dizer: “O Centec tem muita importância na minha vida, tanto profissional quanto pessoal”.

 

Para a coordenadora, acompanhar o crescimento dos alunos dentro do Centec possui um importante significado. “Eu mesma fiz parte disso”, ela afirma. “Eu fico muito feliz em saber que estamos conseguindo contribuir com a vida e com a formação desses estudantes”, ela conta, citando como exemplo outra aluna da Fatec que havia solicitado, no dia anterior, colação especial por ter sido aprovada em concurso de sua área.

 

O mês de setembro marca outro momento importante para os estudantes e professores que fazem parte do Instituto Centec: será realizada a colação de grau dos alunos concludentes de ambas as Fatecs, do Cariri e do Sertão Central, e dos CVTECs de Barbalha e do Crato. Assim, dezenas de novos técnicos e tecnólogos deixam a instituição, seja para continuarem sua jornada por outros caminhos ou para depois voltarem aos braços do Centec.

 

 

 

01.09.2015

 

Caroline Avendaño
Assessora de Imprensa do Instituto Centro de Ensino Tecnológico
85 3066.7030 | 99949.1534
carol@centec.org.br

 

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa da Casa Civil
Governo do Estado Ceará
85 3466.4898