Pacientes comprovam os resultados da nova rede de saúde do Ceará

21 de junho de 2016

“Não existe atendimento no mundo melhor que na policlínica, desde o vigilante até o médico. Todos acolhem a gente com maior respeito e tudo tem organização, com a hora da consulta e dos exames agendada. Dou nota 9,9 e não 10 porque mesmo sendo muita boa acredito que tudo pode ficar ainda melhor”. A declaração é do autônomo Gervásio Braga de Oliveira, 54 anos, que participou na manhã desta terça-feira (21), em Sobral, do Fórum da macrorregião Norte de preparação para o seminário internacional do Programa de Expansão e Melhoria da Assistência Especializada à Saúde do Estado do Ceará (Proexmaes I), promovido pela Secretaria da Saúde do Estado.

O que foi tratado por Gervásio Braga de Oliveira, usuário da policlínica regional em Sobral, onde fez consultas com diferentes especialistas, entre eles urologista, cardiologista, nutricionista, e exames, é o foco dos fóruns macrorregionais. Ciente de que as policlínicas, os Hospitais Regionais, os Centros de Especialidades Odontológicas, além de toda a nova rede, que inclui também Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h) e SAMU, a Sesa amplia e facilita o acesso aos serviços de saúde para a população em todas as regiões, discutindo novos avanços, especialmente na qualidade da assistência e na gestão.

banner proexmaes 06Quem também sabe a tranquilidade de ter a garantia de atendimento é Rosângela Araújo, profissional de saúde. Ela recebe acompanhamento e fez todas as ultrassonografias na policlínica regional em Sobral. Foi lá onde soube que Gabriel vem por aí. Mãe pela segunda vez, Rosângela é usuária da nova rede de assistência na macrorregião Norte. Além da policlínica, ela também precisou dos serviços de emergência do Hospital Regional Norte. Ela conta que, há 15 dias, teve um susto com o filho Aquiles, 5 anos. Ele teve uma hemorragia e foi levado ao HRN.

João Batista Lopes, morador de Sobral, disse que se não fosse a nova rede “estaria complicado do primeiro ao décimo grau porque eu tenho as necessidades de atendimento e não tenho dinheiro para pagar tantas consultas e exames, e não podemos esquecer que o atendimento é o melhor”. Com problemas na coluna e no tórax, ele faz sessões de fisioterapia duas vezes na semana na policlínica, recebe orientações de nutricionista, fez tomografias computadorizadas, ultrassonografias.

Números

Os atendimentos a Gervásio Braga de Oliveira, Rosângela Araújo e João Batista Lopes estão nos resultados de todas as 19 policlínicas regionais em funcionamento, dos 22 CEOs regionais, do Hospital Regional Norte e do Hospital Regional do Cariri, das 23 UPAs implantadas pelo Governo do Estado e da cobertura do SAMU 192 Ceará em 128 municípios. Nas policlínicas foram realizadas 3.215.278 atendimentos até março deste ano. Nos 22 CEOs, somando os 18 novos com os quatro municipais que foram regionalizados foram feitos 5.781.450 atendimentos. O HRN, que fica em Sobral e atende a população de 1,5 milhão de habitantes da macrorregião Norte, e o HRC, em Juazeiro do Norte e assiste a população de 1,4 milhão da macro Cariri, realizaram, juntos, 4.464.096 atendimentos. “Com tudo isso é inegável que a população tem mais acesso. Precisamos trabalhar e avançar mais na eficiência, fazendo mais com os recursos que temos, adotando protocolos, uso racional de medicamento”, afirmou a secretária executiva da Saúde do Estado, Lilian Beltrão.

O novo coordenador das Regionais de Saúde, Moacir Tavares, destacou “a ousadia do Governo do Estado em estruturar uma nova rede especializada em todas as regiões e que é necessário avançar nos processos de governança regional”.

 

alt

 

alt

 

 

 

21.06.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Assinatura coornenadoria matérias