Ceará registra 11º mês seguido de queda nos Crimes Violentos Letais Intencionais

5 de agosto de 2016

A média mensal de CVLIs na Capital, que em 2014 era de 165,8 vítimas e em 2015, de 137,6, caiu para 84,4 neste ano

web 160805 SSPDS MG 8582O Ceará registrou, no mês de julho, a redução de 1,9% nos números de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios. É o 11º mês seguido de queda no Estado. “Tivemos um número positivo, mesmo tendo enfrentado diversas questões como a reação às intervenções no sistema prisional do Estado. Fizemos uma grande varredura e implantamos um regime disciplinar diferenciado nos presídios, inclusive com a ajuda de agente de outros estados. Além disso, o desafio se deu, pois este período foi o mês que tivemos a maior queda do ano de 2015. Por isso, parabenizo as nossas forças de segurança que não tem medido seus esforços para contribuir com as quedas dos índices em todo o Estado”, destacou o governador Camilo Santana.

web 160805 SSPDS MG 8602Em números absolutos, o Estado reduziu de 261 casos, em 2015, para 256, este ano. Já em Fortaleza, no mês passado, a diminuição foi bem mais expressiva: -23,2%, passando de 112 vítimas para 86. A Capital, que historicamente era o território que puxava a alta nos CVLIs, tem sido responsável por impulsionar as reduções seguidas que os índices vêm apresentando mensalmente.

A média mensal de CVLIs na Capital, que em 2014 era de 165,8 vítimas e em 2015, de 137,6, caiu para 84,4 neste ano. Já a média diária, em Fortaleza, que foi de 5,4 e 4,5, respectivamente, em 2014 e 2015, em 2016, reduziu para 2,8 mortes.

Para o governador Camilo Santana, os contínuos investimentos feitos pelo Estado tem garantido essa melhora, sabendo que o esforço da segurança pública no Estado não é só feito com efetivo ostensivo. “Implantamos, nos últimos meses, o Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) em Russas e Quixadá, e em breve em Itapipoca e Iguatu, as novas bases da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), incremento no efetivo das Polícias Militar e, ao fim deste mês, na Polícia Civil, o concurso para novos policiais militares, enfim. Porém, sabemos que essas não são e nem serão os únicos esforços do Estado, pois sabemos que não é só com Polícia que se faz um Estado mais pacífico. Temos integrado os poderes, as instituições, sociedade civil, no intuito de se discutir e implementar um modelo eficaz de segurança pública”, encerrou o governador.

Região Metropolitana e Interior do Estado

Na Região Metropolitana de Fortaleza, houve alta de 26,8%, passando de 41 para 52 casos. O aumento no Interior Sul foi de 16,1%, indo de 56 para 65 CVLIs. O Interior Norte também teve acréscimo no número de vítimas, passando de 52 para 53 vítimas (1,9%). Ainda assim, os sete primeiros meses de 2016 apresentaram redução de 12,2% nos casos de mortes violentas, caindo de 2.278, em 2015, para 2.000 vítimas no Ceará. O resultado do Estado é mais que o dobro da meta de 6% estabelecida pelo Programa Em Defesa da Vida. No período, 278 vidas foram salvas.

No período, a Capital teve baixa de 37,6%, passando de 947 casos no ano passado para 591 este ano. Já o Interior Sul registrou acréscimo de 3,3%, indo de 516 para 533 vítimas. O Interior Norte teve alta de 1,6%, indo de 380 para 386 vítimas. A Região Metropolitana também teve aumento (12,6%), com números absolutos de 435 e 490 ocorrências de janeiro a julho de 2015 e 2016, respectivamente.

Segundo o secretário Delci Teixeira, da Segurança Pública e Defesa Social, os olhares sobre os índices merecem estar focados, mesmo com a queda, para que possa superar ainda mais as estatísticas alcançadas. “A determinação do Governo do Estado é que se estabeleça um planejamento para priorizar os interiores Norte, Sul e Região Metropolitana, devido ao aumento do último mês. As bases e os batalhões das Polícias estão tendo seus incrementos, tanto de pessoas quanto de tecnologias, e estamos focando nossas atenções em todo interior do Estado. Tivemos nos últimos 19 meses, apenas um acréscimo nos índices nos meses de janeiro e agosto de 2015. De setembro em diante, fecharemos, praticamente, um ano com reduções mês a mês em CVLI. Um marco para um Estado que havia índices cada vez mais crescentes ano a ano”, ressaltou o secretário.

Durante a reunião de monitoramento, estiveram também presentes o secretário Hélio Leitão (Justiça e Cidadania), além de além das presenças dos comandantes das vinculadas da SSPDS (Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Perícia Forense); servidores, através de videoconferência, transmitindo imagens das corporações de cinco cidades do Interior (Sobral, Crateús, Quixadá, Russas e Juazeiro do Norte) e cerca de 60 profissionais das forças de segurança.

05.08.2016

Wilame Januário
Repórter/Célula de Reportagem

Fotos: Carlos Gibaja / Governo do Ceará

Expediente imprensa2-01