Plano de vigilância define ações de controle das arboviroses

30 de novembro de 2016

A Secretaria da Saúde do Estado apresentou na manhã desta quarta-feira, 30 de novembro, a atualização do Plano Estadual de Vigilância e Controle das Arboviroses 2017-2018, que define responsabilidades dos níveis estadual, regional e municipal quanto às ações de vigilância epidemiológica, vigilância laboratorial e controle vetorial em períodos não epidêmicos e epidêmicos de dengue, chikungunya e zika. Apresentado a dois dias da mobilização nacional de combate aos focos do Aedes aegypti, que será realizada nesta sexta-feira, 2 de dezembro, o plano vai nortear as Coordenadorias Regionais de Saúde (CRES) e auxiliar os municípios na resposta à ocorrência das arboviroses transmitidas pelo mosquito. Em janeiro, serão realizadas cinco oficinas macrorregionais para a construção dos planos regionais e municipais de vigilância e controle da dengue, chikungunya a zika.

banner plano controle arboviroses 04“Constância é a palavra de ordem no enfrentamento ao Aedes”, defendeu o secretário da Saúde do Estado, Henrique Javi, ao apostar na mobilização para o combate ao mosquito e reconhecer que mais pessoas estão conscientes da existência de focos no ambiente doméstico. “Ano a ano estamos melhorando e ter registro menor de casos graves e óbitos por dengue em 2016 já mostra que alguma coisa mudou”, analisou o secretário. “O plano é ajustado à situação epidemiológica e entomológica”, explicou o coordenador de Promoção e Proteção à Saúde, Márcio Garcia, ao justificar a necessidade de atualização anual das estratégias de controle. Com essa premissa, antes do Plano Estadual, Márcio Garcia apresentou o cenário epidemiológico, laboratorial e entomológico atual das arboviroses, mostrando a notificação de 132.182 casos de dengue, chinkungunya e zika este ano, até a semana epidemiológica 36, com confirmação de 52.493 casos. “Há poucos anos não tínhamos chikungunya e zika”, reforçou.

O coordenador do Comitê Estadual de Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e Zika, Caio Cavalcante, apresentou balanço das atividades realizadas em 2016 e das ações programadas para os próximos meses. Estão programadas capacitação das brigadas de combate ao mosquito dos órgãos estaduais e de outras instituições, capacitação de 240 militares das Forças Armadas que atuarão nas escolas estaduais e municipais, apresentação do teatro de fantoches da Cagece em mil escolas do Estado, associando o combate ao mosquito à campanha Todos pela Água, participação nas reuniões dos 12 comitês de barragens do Ceará, cursos, capacitações e formações em vigilância, prevenção, controle e assistência às arboviroses, sob responsabilidade da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), entre outras ações.

30.11.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 23nov 2016-01