Ceará intensifica vacinação contra HPV

18 de julho de 2017 # # # #

Assessoria de Comunicação da Sesa Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220 Twitter: @SaudeCeara www.facebook.com/SaudeCeara

A Secretaria da Saúde do Ceará desenvolve desde o mês de junho, junto com os municípios, intensificação da estratégia de vacinação contra o papilomavírus humano (HPV), responsável por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero, até 90% das verrugas anogenitais e, ainda, outros tipos de câncer que podem estar associados ao vírus – vagina, vulva, pênis, anus e orofaringe. A vacina contra o HPV está disponível para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, com esquema de duas doses, a segunda dose seis meses após a primeira.

Este ano, pela primeira vez, a vacina HPV é disponibilizada para meninos. Segundo o Ministério da Saúde, a ampliação da faixa etária de meninos para 11 a 14 anos de idade fortalece as ações de saúde na população masculina e possibilita a prevenção da ocorrência dos cânceres de pênis, anus, orofaringe e verrugas genitais. A vacinação de meninos, diz o Ministério, contribui para o aumento da proteção também nas meninas, impactando nas próximas décadas o perfil epidemiológico das infecções atribuíveis ao HPV em ambos os sexos.

A vacina é segura e é a única forma efetiva de proteger os homens das infecções causadas pelo papilomavírus humano. A vacina para meninos foi incorporada ao calendário este ano. Desde 2014, o imunizante é distribuído gratuitamente pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para meninas de 9 a 14 anos. Para homens e mulheres com imunodeficiência, a vacina está disponível nas unidades de saúde mediante prescrição médica com justificativa, além do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE).

Aos pais e responsáveis, a Secretaria da Saúde do Ceará sugere aproveitar as férias para levar meninas e meninos na faixa etária indicada para se vacinar contra o HPV. A intensificação da estratégia de vacinação prossegue até o mês de agosto, aproveitando o reinício das aulas nas escolas, com a meta de imunizar pelo menos 80% dos grupos elegíveis para a vacinação.