Anvisa destaca qualidade nos serviços do Lacen

1 de novembro de 2017 # #

Suzana de Araújo Mont'Alverne - Assessoria de Imprensa do Lacen/IPC/CIDH
suzana.alverne@lacen.ce.gov.br
3101.1488

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Ceará, é mais uma vez destaque na qualidade de seus serviços. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou visita técnica com foco no perfil analítico, que incluía a fiscalização de itens pertinentes à capacidade laboratorial e ao sistema de gestão de qualidade e biossegurança. Em seu relatório de avaliação, publicado na sexta-feira, 27, a Anvisa destacou que o Lacen evidenciou-se no conhecimento, competência técnica e no alto grau de implantação do sistema de gerenciamento de amostras, o Harpya. Outros grandes destaques foram observados, como comprometimento da direção, a elaboração e qualidade dos indicadores, com o rastreamento das áreas específicas a cada critério, e a facilidade do rastreamento e controle das informações.

Água, alimentos, insumos farmacêuticos, medicamentos, saneantes, cosméticos são alguns dos produtos sujeitos à Vigilância Sanitária. O Lacen realiza os ensaios analíticos. Somente em 2017, 31.227 produtos foram enviados e 55.461 exames realizados. Em 2016, 56.040 amostras foram enviadas, com 114.040 exames realizados. Além do laboratório central em Fortaleza, há mais cinco unidades nos municípios do interior do estado (Crato, Icó, Juazeiro do Norte, Senador Pompeu e Tauá). De janeiro a setembro deste ano, 1.023.572 ensaios foram realizados. O Lacen faz exames de média e alta complexidade.

Visita técnica

Durante a visita técnica, que aconteceu entre os dias 5 e 7 de julho, os representantes da Anvisa avaliaram os seguintes setores: Sala de Amostras, Laboratório de Físico-Químico de Medicamentos I e II, Laboratório de Microbiologia de Medicamentos, Laboratório de Microbiologia de Água e Alimento, Laboratório de Físico-Químico de Água e Alimentos I, II e II e do Laboratório de Microscopia. Também foram visitados o Centro de Preparo de Reagentes e Meios de Cultura (setores de serviço de material e esterilização e também o serviço de tratamento e descarte de resíduos), que são vinculados à Divisão de Biologia Médica.

Os critérios de avaliação da visita obedeceram referências legais e técnicas, como a RDC Nº 11/2012, que tem por base sobre o funcionamento de laboratórios que analisam produtos sujeitos pela Vigilância Sanitária; a Portaria Nº 3204/2010, que aprova as Normas Técnicas de Biossegurança para Laboratórios de Saúde Pública e Norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 com requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração.

Estrutura laboratorial

O Lacen faz diagnósticos para dengue, febre Chikungunya, testes de genotipagem, e é referência regional para microbactéria tuberculose multirresistente e nacional em melioidose. Possui em sua estrutura física um Laboratório de Nível de Biossegurança III, destinado ao trabalho com microrganismos que acarretam elevado risco individual e baixo risco para a comunidade. Além de realizar diagnóstico de doenças de notificação compulsória e outros agravos, faz o controle da qualidade de produtos e serviços.

A unidade Coordenadora da Rede de Laboratórios, com sede na capital é composta por quatro divisões: Divisão de Biologia Médica com o Centro de Análises Clínicas e 19 laboratórios; Divisão de Bromatologia com o Centro de Microbiologia e Química e 9 laboratórios; Divisão Técnica/Coordenação da Qualidade e Biossegurança e pela Divisão de Coordenação dos Laboratórios Regionais de Saúde Pública.