Programa nacional seleciona hospitais da rede pública do Ceará

28 de dezembro de 2017 # # # #

Cristiane Bonfim / Marcus Sá / Helga Rackel - Assessoria de Comunicação da Sesa

 

Oito hospitais da rede pública do Ceará são selecionados para participarem do Projeto Colaborativo “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, do Ministério da Saúde. Destes, cinco são do Governo do Ceará: Hospital Geral de Fortaleza, Hospital Geral Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, Hospital Geral Dr. César Cals, Hospital Dr.Waldemar de Alcântara, em Fortaleza, e Hospital Regional do Norte, em Sobral. O projeto faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), em parceria com o Institute for Healthcare Improvement (IHI). Participarão também o Hospital Universitário Walter Cantídio e Maternidade Escola Assis Chateaubriand, do Governo Federal, e o Instituto Dr. José Frota, da Prefeitura de Fortaleza.

O projeto nacional tem como principal objetivo orientar os profissionais de saúde quanto às melhores práticas para o cuidado da segurança do paciente nos hospitais do SUS. De acordo com Iran Júnior, enfermeiro da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e apoiador do Programa no Ceará, cada instituição selecionada terá uma equipe de liderança composta por cinco profissionais escolhidos pela direção. “O time será responsável pela implementação de protocolos para disseminar a cultura da segurança do paciente e promover ambientes de práticas seguras. Trabalhando com esses protocolos, a instituição desenvolverá um ambiente de maior colaboração, além de fortalecer o vínculo entre o paciente, a família e o hospital”, afirma.

Cada hospital selecionado participará de treinamentos presenciais, além de suporte via chat, webconferência e tutoria. “O programa é importante, pois vai possibilitar que os hospitais sejam referência para outras unidades do país no cuidado ao paciente”, ressalta Iran. O Projeto visa reduzir em 50% as infecções relacionadas à assistência à saúde no país, dentre elas, infecção da corrente sanguínea associada ao uso de Cateter Venoso Central (CVC); Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV); e a Infecção do trato urinário (ITU). A medida prevê também uma redução de R$ 1,2 bilhão de gastos com tempo de permanência do paciente nos leitos e com a utilização de insumos.

Reunião técnica

O Ministério da Saúde/ Proadi-SUS, com apoio dos Hospitais de Excelência, Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital Beneficência Portuguesa (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e o Hospital Moinhos de Vento (RS) realizou, no último dia 11, a primeira reunião técnica com 120 hospitais do país selecionados para participarem do Projeto Colaborativo “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, em São Paulo.

Segurança do Paciente

Em 2013, o Ministério da Saúde lançou o Programa Nacional de Segurança do Paciente com o objetivo de prevenir e reduzir a incidência de eventos adversos – incidentes que resultam em danos ao paciente, como quedas, administração incorreta de medicamentos e erros em procedimentos cirúrgicos nos serviços públicos e privados.
Entre as principais ações do programa está a implantação de uma gestão de risco e os Núcleos de Segurança do Paciente nos estabelecimentos, além de envolver pacientes e familiares nas ações e fomentar a inclusão do tema no ensino técnico, graduação e pós-graduação de saúde.

Proadi-SUS

O Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), possibilita que as entidades de saúde de referência participem do desenvolvimento do SUS, transferindo tecnologias de gestão e de atenção úteis para serem adaptadas pela rede pública, além de desenvolverem pesquisas de interesse do sistema.

Entre 2015 e 2017, estão em execução 132 projetos nos seis hospitais de excelência, Albert Einstein, Sírio-Libanês, Hospital do Coração, Oswaldo Cruz, Moinhos de Vento e Samaritano. Atualmente, há 10 projetos relacionados a Segurança do Paciente e qualidade de serviços por meio do Proadi-SUS, dentre eles o “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”.