Laboratório Central de Saúde Pública realiza mais de um milhão de exames

11 de Janeiro de 2018 # # #

Suzana de Araújo Mont'Alverne - Assessoria de Imprensa – Lacen/ IPC / CIDH

O diagnóstico de doenças de notificação compulsória e outros agravos de saúde pública, além das análises para controle da qualidade de produtos sujeitos ao controle sanitário, como água, alimentos, medicamentos, cosméticos e saneantes, é responsabilidade da rede de unidades do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Ceará. Com estrutura para atender aos 184 municípios do Ceará, a rede laboratorial, composta pode seis unidades distribuídas em Fortaleza e interior – Crato, Icó, Juazeiro do Norte, Senador Pompeu e Tauá – encerrou o ano de 2017 com 1.324.602 exames realizados.

No Lacen, situado em Fortaleza, 1.012.772 ensaios foram realizados no ano passado. Responsável por 92% da produção do laboratório, a Divisão de Biologia Médica é habilitada para a realização de diversos testes, dentre eles: hepatites virais, HIV, triagem neonatal, toxoplasmose, citomegalovírus, dengue, zika, febre chikungunya, sarampo, rubéola, carga viral, dentre outros. O desempenho da divisão foi de 930.718 exames. Deste total, 742.268 correspondem à triagem neonatal e 149.013 ao setor de virologia, que é o maior do laboratório e abrange sete diferentes segmentos: endemias, triagem neonatal, microbiologia, raiva, coleta e recebimento de amostras.

A Divisão de Produtos é responsável pelas análises para controle da qualidade dos produtos sujeitos ao controle e fiscalização da Vigilância Sanitária. No ano passado, 82.054 análises foram feitas, o equivalente a 8% dos ensaios realizados pelo Lacen. A área de alimentos em geral foi destaque com 3.583 análises realizadas.

Já as cinco unidades regionais, localizadas em Crato, Icó, Juazeiro do Norte, Senador Pompeu e Tauá, encerraram o ano de 2017 com 311.829 exames realizados, sendo 200.392 exames básicos e 111.437 análises de saúde pública.

Gestão da Qualidade

Comprovando a qualidade dos serviços ofertados à população, o Lacen destacou-se ainda em duas auditorias externas no ano passado. No processo de avaliação pela Organização Nacional de Acreditação (Ona), o laboratório passou ao nível Acreditado Pleno – Nível II, que além do critério de segurança, já avaliados para o nível I, foi reconhecido também por sua gestão integrada.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também atestou a qualidade dos serviços no laboratório. Por meio de relatório, a Anvisa destacou o conhecimento, competência técnica e no alto grau de implantação do sistema de gerenciamento de amostras, o Harpya. Outros pontos também foram observados, tais como: o comprometimento da direção, a elaboração e qualidade dos indicadores e seu desdobramento para as áreas específicas a cada critério e a facilidade do rastreamento e controle das informações.