PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Diálogos Ambientais apresentam ações da Cagece e da Arce

13 de novembro de 2019 - 17:24 # # # #

Alberto Perdigão - Ascom Semace

Palestra Diálogos Ambientais

Uma estação de dessalinização da água do mar para o consumo humano será construída na Praia do Futuro. O projeto é parte da lista de ações da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), apresentada pelo diretor de Operações da empresa, Rogério Leite, durante palestra realizada, nesta quarta-feira (13), na quarta edição dos Diálogos Ambientais, com o tema Saneamento Básico. Também falou o analista de saneamento da Agência Reguladora do Estado (Arce), Alceu Galvão Júnior. O encontro teve como mediador o secretário de Meio Ambiente e presidente do Coema, Artur Bruno.

De acordo com Rogério Leite, “a Cagece tem investimentos, em execução, em obras de água e esgoto, em todo o Ceará, da ordem de R$ 470 milhões, em recursos próprios, aportados pelo Estado, Banco do Nordeste e Ministério da Integração”. O contrato chamado BNB 1, de R$ 238 milhões, é o primeiro do gênero entre uma estatal de água da região e o banco. “Um novo empréstimo, o BNB 2, está em vias de ser assinado, no valor global de R$ 500 milhões”, adiantou Leite.

Dessalinização

Sobre o projeto de dessalinização, o diretor da Cagece informou que a obra orçada em R$ 500 milhões será realizada no modelo parceria público-privada (PPP). O objetivo é comprar do produtor um metro cúbico por segundo de água potável, para abastecer 720 mil fortalezenses. “A fase inicial da chamada pública de interessados já foi publicada”, afirmou. “Vamos lançar o edital, até fevereiro de 2020, para captar o investidor bem como quem vai executar a obra”, completou.

Universalização

O analista da Arce, Alceu Galvão Júnior, considerou um “desafio” a universalização do serviço de esgotamento sanitário. “Hoje, o estado do Ceará apresenta, nas cidades, cerca de 30% de atendimento”, informou, ao defender “alavancar” a infraestrutura de esgotamento sanitário, por meio redes coletoras e por meio de estações de tratamento de esgoto.

“Aliadas a estes problemas, nós temos outras discussões inerentes à universalização do esgotamento, por exemplo fazer com que os usuários se interliguem”, afirmou, numa referência ao índice de ociosidade da rede de esgoto, que é de 192 mil ligações. “É preciso incentivar a população, fazer conscientização ambiental”, completou.

Diálogos Ambientais

Os Diálogos Ambientais são realizados bimensalmente pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). É colocado em discussão um tema relevante para o meio ambiente e de interesse para o desenvolvimento sustentável do Ceará. A iniciativa tem o apoio das Secretarias de Meio Ambiente (Sema) e do Planejamento e Gestão (Seplag).

Participam representantes do Estado, do mercado e da sociedade. Desta vez, o tema foi proposto pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema). Este ano, também foram discutidos a poluição das praias, o licenciamento ambiental e o zoneamento econômico-ecológico. Um novo temário está em elaboração para os encontros, que voltarão em 2020.