PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

SPS realiza chamamento público para entidades executarem programa de qualificação de mulheres

3 de agosto de 2020 - 16:26 # # # # #

Camille Soares - Ascom SPS

Dependência econômica aliada à falta de capacitação profissional são fatores críticos para a superação da violência contra a mulher. Diante dessa realidade, a Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) está com edital de chamamento público aberto para Organizações da Sociedade Civil (OSC) sem fins lucrativos, que tenham interesse em participar do projeto Mais Mulher.

O projeto executado pela Secretaria Executiva de Políticas para as Mulheres busca promover o desenvolvimento de ações de inclusão produtiva de 330 mulheres em situação de violência. O objetivo é contribuir para a capacitação profissional, a educação financeira, o autoconhecimento e o empoderamento feminino. Serão ofertadas 100 vagas em cursos para o coaching grupal, 150 vagas para as oficinas de educação financeira e 80 para os cursos de qualificação profissional, nas áreas de beleza.

As organizações interessadas a participar do Mais Mulher devem enviar suas propostas físicas para a sede da SPS (R. Soriano Albuquerque, 230), no período de 17 de agosto a 1º de setembro entre 9h e 17h30. Para a secretária-executiva, Denise Aguiar, o Mais Mulher é um projeto democrático, que será implementado de forma compartilhada, por meio de parcerias da SPS com as OSCs, a partir de um modelo de gestão transversal e responsável.

“Nossa expectativa é promover a inclusão socioprodutiva de mulheres que passaram por situações de violência, para que elas conquistem sua autonomia econômica. Nós compreendemos as situações de vulnerabilidade que a dependência financeira as impõe. Portanto essa é mais uma oportunidade de gerarmos impactos positivos na vida de centenas de mulheres”, destaca Denise Aguiar.

Concorrência Pública

Pelo Edital de Chamamento Público nº 012/2020, podem apresentar propostas entidades privadas sem fins lucrativos; sociedades cooperativas previstas na Lei nº 9.867, as integradas por pessoas em situação de risco ou vulnerabilidade pessoal ou social; participantes de programas e ações de combate à pobreza e de geração de trabalho e renda; as voltadas para o fomento, educação e capacitação de trabalhadores rurais ou de agentes de assistência técnica e extensão rural. Também podem concorrer organizações religiosas que se dediquem a atividades ou a projetos de interesse público e de cunho social.

Os detalhes do edital podem ser acessados clicando aqui.